5 técnicas para aumentar sua produtividade nos estudos

Produtividade não é somente fazer mais. Ser produtivo nos estudos não significa passar o maior número de horas possível estudando. É, sobretudo, aumentar a qualidade do seu estudo sem precisar aumentar o tempo.

Ilustração de uma mulher feliz em frente à uma parede com relógios, calendários e gráficos
Entenda o que é ser produtivo! (Crédito imagem: Freepik)

É comum ver pessoas confundindo produtividade com estar ocupado. Pensam que toda pessoa que passa mais tempo realizando as atividades são mais produtivas.

Mas elas estão enganadas! Produtividade tem muito mais a ver com qualidade do que com quantidade, como você vai descobrir neste artigo.

Tratando-se de estudo, ser produtivo é conseguir alcançar melhores resultados com o menor esforço possível. Isso implica aproveitar melhor o tempo destinado aos estudos, priorizar o mais importante e saber manter o foco.

Neste artigo você vai conferir 5 técnicas que vão ajudar você a aumentar sua produtividade nos estudos. Mas antes, que tal falarmos um pouco mais sobre produtividade?

Se estiver com pressa, clique direto no tópico do seu interesse:

Você sabe o que é produtividade?
Princípio de Pareto
Obstáculos da Produtividade
Como aumentar a produtividade nos estudos
1. Pomodoro
2. Flow Time - Fluxo de Tempo
3. Autofoco
4. GTD - Getting Things Done
5. Matriz de Eisenhower

Baixe grátis nosso eBook:Como tornar seus estudos mais produtivos

Aprenda mais, estudando menos! Descubra como aumentar a qualidade dos seus estudos e melhorar a sua produtividade de maneira simples e eficiente.

Como tornar seus estudos mais produtivos

Você sabe o que é produtividade?

Com certeza você já se deparou com esse termo por aí. Mas você sabe realmente o que é produtividade?

Vejo muita gente confundindo produtividade com estar ocupado, fazer várias coisas ao mesmo tempo, ter muitas tarefas e por aí vai.

Mas aqui vai uma definição para você nunca mais confundir o significado do termo:

Produtividade é a relação entre os recursos empregados (tempo, dinheiro, esforço físico, insumos) e o que foi produzido (resultado).

Ou seja, quanto menor o esforço empregado para a conclusão da tarefa, melhor a produtividade. É fazer mais com menos.

Assim, pode-se dizer que produtividade nos estudos é a relação entre o tempo dispensado e a quantidade de páginas lidas, exercícios resolvidos ou, se possível mensurar, conhecimento adquirido.

Deu para entender a diferença?

Ser produtivo não tem nada a ver com fazer mil e uma coisas, mas sim finalizar a maior quantidade delas no menor tempo possível ou utilizando menos recursos.

Você pode levar 2 horas a mais para terminar de ler e resolver os mesmos exercícios do que seu colega, porque o estudo dele é mais produtivo que o seu.

Ele não se distrai com outras coisas, mantém o foco e conclui a tarefa muito antes de você, que está fazendo isso e olhando o celular ao mesmo tempo.

Quer aprender a ser produtivo também? Então não deixe de ler até o final.

Princípio de Pareto

Primeiramente, permita-me te apresentar o Princípio ou Teoria de Pareto.

Segundo esse princípio, 80% das consequências advêm de 20% das causas. Ou seja, 80% do seu resultado depende de 20% das suas atividades.

Por isso, para aumentar a produtividade nos estudos, é fundamental que você identifique quais atividades estão dentro desses 20% responsáveis por 80% dos seus resultados.

Identificadas tais atividades, você deve tratá-las como prioridade, o que aumentará significativamente a sua produtividade.

Obstáculos da Produtividade

Antes de testar qualquer técnica ou seguir qualquer conselho, você precisa conhecer os obstáculos que atrapalham sua produtividade nos estudos para desde logo evitá-los.

Cada um de nós apresenta um nível diferente de concentração a depender do dia, horário, humor, clima e muitos outros fatores que nos cercam e afetam.

Por isso não há uma fórmula secreta, nem como aumentar a produtividade nos estudos magicamente, mas há meios de melhorar o cenário para que fatores internos não te atrapalhem (e por fatores internos leia-se você mesmo).

O que eu vou falar aqui pode ou não servir para você. Você pode se identificar com tudo ou com nada do que eu vou dizer a seguir. Mas caso se identifique, peço que leia o artigo até o final, porque eu sei como te ajudar.

Como aumentar a produtividade nos estudos

Para ser produtivo você deve eliminar todos os obstáculos que te cercam.

Desativar as notificações do celular é um excelente começo. Se você não ficar parando o que está fazendo para conferir suas mensagens ou redes sociais, conseguirá maximizar seu foco e assim concluirá a tarefa em menos tempo e com melhor proveito.

Além de otimizar o tempo do seu estudo, você melhora a qualidade. Isso é que é produtividade!

Outro obstáculo comum a nós estudantes são as redes sociais. Estudar no computador com várias abas abertas é um tentador convite à distração.

Por isso é importante que, ao estudar no computador (tablet ou outro meio), você deixe abertas apenas as abas úteis ao seu estudo.

Pode parecer bobagem, mas se somar todos os poucos minutos que rolamos o feed do Facebook durante o dia, o resultado pode ser surpreendente.

Além disso, para mim, o grande segredo da produtividade é o planejamento.

Quando planejo meu dia com antecedência e sei o que preciso fazer e em qual ordem, meu dia rende muito bem.

Por outro lado, quando não me programo, passo o dia fazendo tarefas inúteis ou que não precisavam ser feitas naquele momento, acabo procrastinando e me distraindo em um nível absurdo.

Com base na minha experiência pessoal, como acadêmica de direito e profissional da advocacia, posso afirmar que organização e planejamento são as melhores armas para aumentar a produtividade nos estudos.

Agora, se mesmo tendo organização e planejamento na sua rotina, você ainda assim não melhorar sua produtividade nos estudos… talvez você precise de uma ajudinha extra.

Se for o seu caso, experimente implementar no seu dia a dia uma (ou mais) dessas 5 técnicas simples e eficazes para aumentar a produtividade nos estudos abaixo.

1. Pomodoro

Foto de um timer/relógio em formato de tomate.
Timer pomodoro (Crédito imagem: Freepik)

O objetivo deste artigo não é tornar você um especialista em técnicas de produtividade. Portanto, vou direto ao ponto, sem justificar o nome ou história de cada técnica, contando apenas o que você precisa saber para aplicá-la. Vamos lá?

Pomodoro é uma técnica que consiste basicamente em você dividir seu tempo em intervalos de 25 minutos de trabalho e 5 de descanso. E a cada 4 blocos desses, isto é, a cada 2 horas, você faz uma pausa de meia hora.

Como todas as outras técnicas que costumo trazer aqui, você pode e deve adaptar à sua realidade, aumentando ou diminuindo o tempo de cada intervalo e do descanso.

Nos momentos de descanso você aproveita para ir ao banheiro, comer um lanchinho, checar as mensagens no celular ou apenas dar uma volta pela casa ou ambiente em que estiver.

Para aplicar a técnica, você pode fazer o seguinte passo-a-passo:

  1. Elabore uma lista com todas as tarefas do dia (de estudo, trabalho e o que mais tiver);
  2. Ajuste o "timer" para 25 minutos (ou o tempo que preferir). Você pode usar extensão do Google Chrome para isso ou o alarme do seu celular;
  3. Comece a fazer sua primeira tarefa;
  4. Assim que o timer soar, pare e descanse 5 minutos;
  5. Recomece a tarefa (se ela não terminou) ou inicie outra;
  6. Após 4 ciclos seguidos, descanse meia hora.

Segundo os especialistas essa técnica ajuda a evitar que você fique estressado por falta de uma válvula de escape de vez em quando.

O objetivo é manter o foco, concentrar-se totalmente na tarefa durante o intervalo de tempo definido e descansar ao final deste.

2. Flow Time - Fluxo de Tempo

Semelhante à Técnica Pomodoro, a Técnica Flow Time tem por base a contagem de tempo, o foco em uma tarefa de cada vez e intervalos regulados, visando evitar estresse e a disrupção repentina.

A diferença desta Técnica é que você não pré-determina o tempo de cada ciclo, indo até onde sentir que precisa de uma pausa.

Assim você torna a rotina mais flexível, estudando por quanto tempo seu cérebro quiser.

Você pode, por exemplo, estudar durante 90 minutos na parte da manhã, quando se sente mais produtivo, e dividir as tarefas da tarde em blocos de 25 minutos ou menos.

Para fins de controle, recomenda-se que sejam anotados os períodos de estudo e intervalos. Deste modo você consegue medir no final do dia se ele foi ou não produtivo.

3. Autofoco

Mão masculina segurando uma lente focando numa paisagem ao longe
Foco é importante! (Crédito imagem: Unsplash)

Para aplicar essa Técnica, você começa criando três listas de tarefas com a seguinte classificação:

  1. Tarefas Novas
  2. Tarefas Recorrentes
  3. Tarefas Não finalizadas

Preencha a lista de Tarefas Novas com todas as atividades que você já sabe que precisa completar naquele dia e faça uma linha abaixo da última tarefa.

Se precisar adicionar mais uma tarefa, faça isso abaixo dessa linha. Assim, todas as tarefas acima dessa linha são "velhas".

Quando começar a estudar, analise sua lista de tarefas velhas e comece a trabalhar em uma de cada vez. Quando finalizar, tire essas tarefas da lista.

Caso sejam recorrentes, transfira-as para a lista de recorrentes. Se não finalizou, coloque-as em não finalizadas.

Enquanto todas as tarefas velhas não forem finalizadas, não avance para as novas.

Volte para o topo da lista, conferindo uma por uma. Somente se perceber que não pode completar nenhuma das tarefas velhas agora, passe para a lista de novas.

Para organizar essas listas, recomendo a utilização de gerenciadores de tarefa baseados em lista, como o Trello.

A chave para o Autofoco funcionar é concentrar-se em apenas uma tarefa de cada vez e finalizá-la. Não ficar pulando de galho em galho.

4. GTD - Getting Things Done

Essa é a técnica descrita no livro A arte de Fazer Acontecer de autoria do consultor em produtividade David Allen.

A intenção aqui é eliminar os "circuitos abertos", que são aquelas preocupações que ficam na sua cabeça mesmo quando está fazendo outra coisa e impedem que o estudo flua.

O primeiro passo da técnica é coletar informações. Escolha o local de sua preferência e anote todas as tarefas pendentes.

O ideal é fazer essa coleta antes de a semana começar, para já iniciá-la com o devido planejamento. Inclua aqui também as tarefas pessoais e profissionais.

Feito isso, é hora de processar as informações. Analise cada tarefa da sua lista e reflita sobre o que você precisa fazer em relação à ela.

Depois, estabeleça uma ordem de priorização das tarefas. Tudo o que for simples e rápido, como mandar um e-mail, deve ser feito primeiro.

Passe então para a execução. Para tanto, concentre-se em uma tarefa de cada vez.

Como tudo está anotado, você não precisa ficar se lembrando delas enquanto faz. Basta finalizar a atual e passar para a próxima.

Se alguma tarefa estiver travando seu fluxo de estudo, passe para a próxima. Mas não esqueça de retomá-la em momento oportuno.

O último passo desta técnica é a revisão semanal. Esse hábito é primordial no método Getting Things Done.

Toda semana, cheque todas as tarefas e reorganize-as conforme for necessário.

É importante estar sempre verificando o seu desempenho, analisando porque você deixou de fazer determinada tarefa (você está procrastinando ou essa tarefa é inútil?).

No artigo 6 lições do Scrum para otimizar seus estudos falei sobre a importância de estudar em ciclos e avaliar o desempenho. Vale a pena dar uma olhada lá!  

5. Matriz de Eisenhower

Essa Técnica vai te ajudar a definir suas prioridades.

Para tanto, você precisa responder a duas perguntas: quais são suas tarefas importantes? E quais são suas tarefas urgentes?

Classifique suas tarefas e monte uma tabela no seguinte modelo:

Matriz de Eisenhower.
Matriz de Eisenhower.

As tarefas "importantes e urgentes" são as que você deve fazer primeiro, pois são suas prioridades.

Depois passe a execução das tarefas que são "importantes e não urgentes". E por último faça aquelas "urgentes e não importantes" e "nem urgente nem importante", de acordo com o tempo que tiver disponível.

Perceba como todas as técnicas apresentam um mesmo ponto em comum: focar em uma tarefa por vez e priorizar as mais importantes.

Nesse artigo você aprendeu sobre como aumentar produtividade nos estudos. Continue sua leitura com mais dicas para não procrastinar.

Baixe grátis:Como tornar seus estudos mais produtivosAprenda mais, estudando menos! Descubra como aumentar a qualidade dos seus estudos e melhorar a sua produtividade de maneira simples e eficiente.BAIXAR AGORA
Capa eBook
Continue aprendendo
3 habilidades importantes para pessoas que valorizam a inteligência

Aprendendo a maximizar nosso potencial cognitivo.

Comportamento
Se você não sabe o que quer, isso é para você

Muitas vezes você se sente como se estivesse flutuando, tentando encontrar sentido em tudo. Até parece que você nem começou a sua jornada.

Comportamento