Estude todos os dias: dicas práticas para criar o hábito de estudar

Uma das coisas que mais facilitam a vida é ter o hábito de estudar. Mesmo que você não tenha como objetivo passar em uma prova, estudar pode te ajudar muito.

Por exemplo, se você quer aprender o básico de uma língua estrangeira para fazer uma viagem, estudar todos os dias é essencial. Se você quer uma promoção no seu emprego, fazer cursos e melhorar suas habilidades vai te colocar na frente dos seus concorrentes.

Se você quer se tornar um autodidata, aprender sozinho a tocar um instrumento musical, ou decidiu aprender programação e a usar o Photoshop, você precisa desenvolver um hábito de estudos.

Seja qual for seu objetivo de vida, quanto mais você souber, maiores suas chances de sucesso.

“Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito”. Will Durant.

Você não gosta de estudar? Podemos te ajudar nisso, este artigo foi criado para fazer você mudar sua visão sobre hábitos de estudo. Leia até o final e anote as dicas!

Baixe grátis nosso eBook:Como tornar seus estudos mais produtivos

Aprenda mais, estudando menos! Descubra como aumentar a qualidade dos seus estudos e melhorar a sua produtividade de maneira simples e eficiente.

Como tornar seus estudos mais produtivos

O que é um hábito?

Segundo o dicionário Oxford Languages, a palavra ‘hábito’ é um substantivo masculino que significa: “maneira usual de ser, fazer, sentir; costume, regra, modo”.

Ou seja, é um comportamento que você aprende e repete frequentemente, sem pensar na sua execução.

Qual é a vantagem do hábito?

Gastar menos energia.

A explicação é bem simples: por ser uma automatização de comportamento, o hábito permite que você gaste menos energia ao cumpri-lo, em comparação a outras atividades que não sejam habituais.

Pense , por exemplo, na sua rotina pela manhã: você acorda, vai ao banheiro, escova os dentes, lava o rosto e faz seu café. Para nenhuma dessas tarefas você precisou de um planejamento. Isso é hábito.

Seu cérebro quer sempre gastar menos energia, para preservação. Por isso adquirir um hábito é tão difícil. E por isso perder um hábito é tão complicado.

Mudar ou criar um hábito demanda um gasto energético muito grande, seu cérebro te sabota para manter o equilíbrio.

Mudar é tirar o equilíbrio do cérebro, por isso é tão estressante quando algo sai da rotina ou quando precisamos mudar um comportamento que fazemos por anos.

Nosso cérebro produz sensações de medo, angústia, ansiedade e estresse para tentar nos manter inertes às alterações em nossas vidas.

Alguns chamam essa inércia de zona de conforto.

Iniciar uma dieta, começar a frequentar uma academia, estudar… todas essas coisas tiram você de sua zona de conforto, por alterarem sua rotina e seus hábitos. Essa é a origem da sua preguiça para mudar.

Mas aqui vai uma informação muito importante: a qualidade dos nossos hábitos influencia diretamente a qualidade da nossa vida.

Segundo Charles Duhigg, autor do best-sellerO Poder do Hábito”, um hábito se forma a partir de três elementos:

  • Gatilho: o estímulo que faz você tomar uma ação. Por exemplo: se comer uma coxinha te faz ter vontade de beber refrigerante, a coxinha é um gatilho para o refrigerante.
  • Rotina: o ato em si, repetido todos os dias. Esse ato pode ser uma atividade física, intelectual ou emocional.
  • Recompensa: o que você ganha com a ação. Por exemplo: com a atividade física você melhora sua dor nas costas causada por horas sentado numa cadeira. Essa recompensa aumenta, melhora ou é oferecida a cada vez que você pratica o ato.
O hábito torna suportáveis até as coisas assustadoras”. Esopo.

A rotina pode se tornar um hábito, ou seja, o que você faz todos os dias em algum momento para de ser forçado. O problema disso é que nem todos os hábitos são bons.

Bons hábitos são aqueles que tornam sua vida mais produtiva, saudável e feliz sem prejudicar a você mesmo ou a outras pessoas. Por exemplo, o hábito de estudar é um bom hábito para se ter.

Os maus hábitos são aqueles que prejudicam sua vida, por exemplo, passar 3 horas nas redes sociais de manhã atrapalha seus outros planos, então é um hábito ruim.  

Como abandonar um hábito ruim

Cachorro subindo escada rumo aos novos hábitos
Para criar novos hábitos, é preciso abandonar os velhos.
“É mais fácil vencer um mau hábito hoje do que amanhã”. Confúcio.

Gastar menos energia representou durante muito tempo da evolução humana, nosso meio de sobrevivência. Porém, hoje em dia esse instinto pode nos atrapalhar.

O mundo está evoluindo rapidamente, e quem não estuda, não aprende e não treina nada novo, fica para trás.

Mas como podemos então burlar nosso instinto?

O Doutor em Ciências (Ph.D) pelo Laboratório de Neurociências Clínicas da Unifesp, Pedro Calabrez, explica como tentar burlar essa nossa preguiça programada e aniquilar hábitos ruins.

O primeiro passo é identificar o gatilho para o comportamento que você não quer mais ter. Após identificá-lo, veja qual é a sua recompensa para esse comportamento, para então conseguir trabalhar na mudança.

Vamos a um exemplo prático: você sempre teve vontade de aprender a usar Excel, afinal é uma habilidade muito procurada no mercado de trabalho.

Então depois de um longo dia de trabalho, você chega em casa e a primeira coisa que faz é deitar no sofá, pegar seu celular e abrir o Instagram.

Esse hábito faz com que você perca a noção do tempo e gaste uma ou duas horas em uma tarefa nada produtiva. Esse tempo você poderia ter usado para tomar um banho, jantar e brincar com seu cachorro.

Agora já são onze horas da noite, você precisa se organizar para dormir e ainda nem começou a lavar a louça. Seu dia acabou e você não conseguiu dedicar 20 minutos aos seus estudos.

Neste exemplo, qual é o gatilho?

Isso mesmo, o ato de se jogar no sofá assim que chega em casa.

Se você precisa fazer alguma coisa, não pode empurrar essa tarefa para o último item da sua to-do list.

E qual é a recompensa? O entretenimento, a fofoca, saber sobre a vida das outras pessoas. Você se sente parte dos acontecimentos ao seu redor quando acompanha pelas fotos, vídeos e textos.

Sabendo esses detalhes podemos começar a planejar sua “cura” do mau hábito de perder tempo. Primeiro, evite o gatilho, não deite no sofá assim que chegar em casa. Procure ir tomar banho de uma vez ou então adiantar a janta.

Se você chegar muito cansado em casa, sente-se em uma cadeira na sua mesa, que é um local menos confortável para passar horas sentado, o que te forçará a levantar logo. Inibindo o gatilho, você não fará o comportamento, nem terá acesso a recompensa.

Agora que você arrumou o tempo para se dedicar a estudar Excel (seu objetivo), você pode começar a agir.

Com o passar do tempo, você não irá automaticamente até o sofá quando chegar em casa, então não precisará fugir do seu gatilho.

Quando esse momento chegar, será o sinal de que seu hábito ruim foi enfraquecido e não será mais tão trabalhoso evitá-lo.  

Como construir o hábito de estudar

Agora que você já entendeu o motivo de seu cérebro sentir estresse com as mudanças, você pode ajudar a aliviar esse desconforto. Mas para isso você precisa de muita força de vontade.

Sim, porque hábitos se constroem com força de vontade e foco.

Qual é a vantagem do hábito para os estudos?

Além da economia de energia que seu cérebro fará, você ficará mais eficiente toda vez que começar uma sessão de estudos.

Sua memória fica mais afiada, seu raciocínio fica mais lógico e rápido. Você não precisa ficar preso durante horas sobre um tema de estudo, pois seu cérebro vai conseguir fazer as conexões necessárias com mais rapidez.

Agora, para começar a criar seu hábito de estudar sempre, você vai utilizar uma técnica parecida com a utilizada para abandonar um hábito ruim. Geralmente a criação e o abandono de hábitos vêm em conjunto.

Quando decidimos abandonar um hábito, inibimos um gatilho. Mas quando queremos criar um hábito, nós estimulamos.

Primeiro, você precisa analisar sua rotina. Como estão seus horários? Onde encaixa seu tempo disponível? Você consegue concluir todas as tarefas que precisa fazer?

Uma rotina bem feita é quase um ritual, você precisa ser capaz de executá-la todos os dias. Mesmo se você não for adepto da rotina, esses passos são importantes se você deseja criar um bom hábito (os hábitos ruins tem o poder de aparecer naturalmente).

Monte uma planilha com todos os seus horários da semana, todas as suas atividades de todos os dias. Não é necessário detalhar muito, você só precisa ser capaz de ter uma ideia de quanto tempo livre possui.

Agora que você sabe onde pode encaixar seu novo hábito, o segredo é estimular a ação rotineira usando a fórmula de Duhigg:

Gatilho

Você precisa de um gatilho forte para criar o hábito de estudar, já que é algo muito cansativo e seu cérebro vai tentar lutar contra isso.

O segredo é usar sua necessidade de conforto a seu favor. Faça seu corpo entender o momento de estudar como um momento de alívio, para isso vale até mesmo apostar na sua roupa mais confortável.

Seu gatilho pode ser escolher um local que você goste muito de estar, ou comprar um material de estudos que te atraia. Até mesmo a iluminação do ambiente pode ser um gatilho. Tente ficar o mais confortável e relaxado possível.

Estipule um horário para começar a estimular esse comportamento, assim seu corpo acostuma muito mais rápido ao novo hábito.

Ao final deste artigo eu coloquei algumas dicas de como deve ser seu ambiente de estudos, não deixe de conferir!

Recompensa

É a recompensa que faz o hábito.

Por quê? Porque é a sensação boa que você sente após concluir sua tarefa que faz você querer repetir tudo no dia seguinte.

Sem recompensa você não consegue criar um hábito, no máximo você consegue se forçar a fazer suas atividades dia após dia. Mas elas sempre tomarão muito da sua energia.

A recompensa cria uma dependência neurológica. Pode se tornar um desejo tão intenso que é quase um vício.

Você pode observar claramente esse comportamento em pessoas que correm com frequência. Os hormônios do prazer que o corpo produz depois de uma atividade física intensa são tão poderosos que as pessoas sentem necessidade da atividade todos os dias.

No caso dos estudos, o seu corpo não produz níveis tão altos assim de endorfina, mas você consegue simular seu efeito após ir muito bem em uma prova, por exemplo.

Ou ainda, quando você conseguir observar a melhora após um simulado, uma apresentação ou quando você finalmente conseguir fazer sua planilha funcionar.

Mas no dia a dia você não vai ter tantas provas, apresentações e sucessos assim. A saída é se permitir algo que você gosta muito como recompensa dos seus esforços.

Você pode criar seu próprio sistema de recompensas até que os benefícios de seus hábitos sejam sentidos.

Se estudar é um problema, separe 15 minutos para fazer algo que você ama a cada 90 minutos líquidos de estudo.

Mas não é uma regra, ok? Tudo pode ser usado como recompensa, até mesmo um pedaço de bolo de chocolate, se você, assim como eu, não resiste a um doce.

Tudo o que você precisa fazer é decidir de antemão o que você pretende “se dar de presente” pelo seu esforço, e então utilizar sua vontade como combustível.

Aqui estão alguns exemplos de recompensas:

  • 1 hora de vídeo game: você ama jogar? Então, após concluir sua jornada de estudos, você pode ter 1 hora (ou até mais, só não exagere) para jogar sem se preocupar com nada pendente.
  • Uma porção de guloseimas: tem vontade de comer uma torta? Ou você é mais chegado em um pastel? Não importa, escolha o seu preferido e deixe separado para ser sua recompensa.
  • Entretenimento: se você está com muita vontade de assistir o último lançamento da Netflix, pode utilizar essa vontade para terminar o que você precisa fazer. Após, assista um episódio de uma série, veja um filme. Não esqueça a pipoca!
  • Dormir: e porque não? Se é o que você tem vontade de fazer, se jogue! Só cuide para não bagunçar seus horários de sono, já que dormir é fundamental se você quer fazer qualquer coisa.

Desfrute ao máximo de sua recompensa, sinta toda a alegria e o prazer que este momento pode te proporcionar. Esses sentimentos são de suma importância para enraizar o hábito.

Lembre-se: quanto mais emocional for a recompensa, melhor será a fixação do seu hábito.

Como essa etapa pode ser tão útil?

Um estágio muito importante no processo de criação do hábito é o anseio. É ele quem une a recompensa com o gatilho e faz com que você consiga criar o novo comportamento.

Ilustração de um cachorro marrom correndo atrás de um osso que está amarrado em suas costas por uma vara
Para criar o hábito de estudar, recompensas são ótimas aliadas!

O anseio é uma antecipação da recompensa.

Por exemplo, se você precisa estudar duas horas para jogar por uma hora, o anseio que você sente pelo jogo fará com que você comece logo seus estudos, assim sua recompensa chega mais cedo e seu hábito começa a se formar.  

É o anseio que te levará a agir quase sem pensar quando você precisar executar uma tarefa que se tornou hábito, estimule-o.

Repetição

Quanto mais vezes você repete um comportamento, melhor você se torna nele.

É essa a ideia por trás da repetição para criar um hábito.

Se você conseguir estimular seu gatilho e sentir o anseio pela recompensa várias vezes, nos mesmos horários e por tempo suficiente, você conseguirá tornar esse comportamento automático.

Uma dica importante é começar devagar. Não se cobre tanto para fazer todos os dias no começo. Aumente a frequência do comportamento aos poucos. Respeite seu ritmo!

Suas metas devem ser pequenas no início, de forma que fique quase impossível você não concluir o que precisa.

Ir devagar é uma forma de garantir o progresso e evitar o desânimo. Você pode programar para aumentar o nível de “dificuldade” da ação duas vezes por semana, por exemplo.

Você pode seguir o que eu fiz para criar o hábito de estudar: comecei apenas com leituras leves, ou vídeo aulas introdutórias, por meia hora no máximo. Depois assistia um episódio de alguma série e voltava para mais meia hora.

Depois que eu consegui manter esse ritmo sem dificuldades, comecei a adicionar mais sessões de meia hora, conforme meu cansaço.

Em aproximadamente 1 mês eu já era capaz de estudar por horas (fazendo pausas) sem sentir como se meu cérebro estivesse virando gelatina.

A melhor parte é que esse método serve para qualquer hábito, não só para estudar. Se você quer começar a pular corda, pode começar usando essa ideia e vai dar certo.

Com o tempo vai ficar mais fácil, além de garantir resultados mais consistentes na sua mudança de hábitos.

Não se esqueça que apesar de começar com pouco tempo, você vai melhorar muito e logo vai conseguir fazer o que precisa de forma automática.

Dicas extras para criar hábitos

Pequenas mudanças no seu dia a dia podem operar verdadeiros milagres quando seu objetivo é afastar ou criar um hábito.

Muitas vezes só o que você precisa fazer é testar essas mudanças, ver o que se encaixa na sua vida.

Mude o seu caminho para casa, o local em que você senta na mesa, o lado do sofá. Pode parecer desconfortável, mas ajudará o seu cérebro a entender que as coisas não vão ser as mesmas.

Organize seu espaço

Se você quer começar a estudar todos os dias, criar esse hábito em você, precisa ter um local adequado para seus estudos.

O mesmo local e o mesmo horário ajudam a reforçar seu novo hábito.

Encontre um bom espaço, que seja confortável, agradável, com boa iluminação e ventilação. Se possível, que seja em um cômodo separado, que você utilize só para estudar ou outras atividades importantes.

Evite estudar na cama ou no seu quarto. Se você for estudar na sala, não o faça na frente da TV.

Limpe e organize seu material, deixe-o exposto de forma que quando você olhe para seu espaço, sinta vontade de continuar nele. Dessa forma você também diminui a perda de tempo e a ansiedade.

Se na sua casa não houver um local propício para estudar, procure uma biblioteca pública, uma livraria pequena e silenciosa ou até mesmo uma cafeteria que você não tenha dificuldades de ir todos os dias.

Organize seu tempo

Para se tornar rotina, você precisa ter mais ou menos os mesmos comportamentos nos mesmos horários, todos os dias.

Hábitos se constroem como uma forma de cronograma interno, seu cérebro possui uma “to-do list” que ele segue sempre.

Ajude seu cérebro a se organizar com os horários, separe os momentos certos para cada atividade. Siga esses horários sempre que possível.

Assim, seu cérebro vai entender que aquele momento do dia é dedicado a determinada atividade.

Utilize um organizador, uma agenda ou mesmo aqueles quadros brancos no seu quarto, onde você pode escrever os horários e as tarefas da semana. Visualizar o que você precisa fazer ajuda a poupar energia e tempo.

Organize suas metas

Dividir o conteúdo que você quer aprender e distribuir ao longo da semana é uma ótima forma de organizar suas metas de estudo.

Por exemplo, se você quer aprender Inglês, separe a segunda-feira para treinar “listening”, a terça-feira para treinar “writing”, a quarta-feira você usa para conversar com alguém apenas em inglês, etc.

Lembre-se de sempre criar metas que você consiga cumprir sem problemas, não insista em metas absurdas que só vão te atrapalhar e desanimar.

Neste artigo eu explico como criar metas e objetivos possíveis, clique aqui e aproveite as dicas.

E se eu falhar?

Calma, você não constrói um hábito do dia para a noite. E também não é uma tarefa fácil.

Na verdade, um hábito se forma (em média) após 66 dias em que você estiver se dedicando a isso. Então você precisa de disciplina e constância, não vai ser rápido, tenha paciência.

Pense em você mesmo como um corredor de maratona, e ninguém consegue correr uma maratona sem treinar por muito tempo.

A rotina melhora com o tempo, você vai perceber como seus dias serão cada vez melhores conforme você se dedica ao seu novo hábito. Mas tem que se dedicar mesmo, viu?


Seu hábito pode começar devagar, através da leitura de artigos todos os dias da semana, por exemplo. Assine nossa Newsletter e tenha acesso aos nossos artigos, dê seu primeiro passo!

Baixe grátis:Mapa do Meta-aprendizadoConfira o passo-a-passo para criar seu mapa do meta-aprendizado e aprimorar o seu processo de aprendizagem. Com o mapa do meta-aprendizado, aprender qualquer coisa fica fácil!BAIXAR AGORA
Capa eBook
Continue aprendendo
7 maneiras incomuns, mas eficazes de trabalhar de forma mais inteligente

Você sabe como trabalhar melhor sem precisar dedicar mais tempo? Neste artigo você irá conhecer maneiras diferentes de entregar mais, com menos esforço.

Comportamento
Analfabetismo funcional: o grande problema educacional da sociedade brasileira

Você tem a certeza de que sabe interpretar um texto? Saiba que o analfabetismo funcional é um problema que atinge uma grande parte da população brasileira.

Aprendizagem