Cronograma e Ciclo de Estudos: entenda a diferença

Você decidiu levar seus estudos a sério. Colocou na sua cabeça que AGORA VAI!

Mas aí você travou: “por onde eu começo?”

Normal. A maioria de nós, estudantes, já se viu nessa situação.

Dar o primeiro passo é sempre o maior desafio, e nos estudos não é diferente.

Por isso hoje vou te ajudar a começar sua jornada rumo a um estudo eficiente.

O primeiro passo para ter sucesso nos estudos é a organização.

Ao organizar seus estudos, você se torna capaz de gerenciar melhor o seu tempo e traçar estratégias para melhorar a qualidade do seu estudo.

Isso porque aquela velha máxima é mais que verdadeira: estudar é muito mais sobre qualidade do que quantidade. Lembre-se disso!

É claro que quantidade importa. Mas entre quantidade e qualidade, você deve se preocupar mais com esta última.

O motivo é simples: quanto melhor for a qualidade do seu estudo, menos quantidade será necessária.

Essa é a fórmula da produtividade: fazer mais, com menos. Mais resultado com menos esforços.

Então, para você começar ainda hoje a melhorar a qualidade do seu estudo e sua produtividade, vou explicar sobre duas ferramentas de organização: cronograma e ciclo de estudos.

Neste artigo você vai aprender:

Qual a diferença entre Cronograma e Ciclo de estudos?

Não tenho dúvidas de que você já ouviu falar sobre cronograma de estudos.

Essa é uma das ferramentas mais antigas utilizadas pelos estudantes para organização.

Já o ciclo de estudos é um conceito relativamente novo e menos popular que o cronograma, mas que está conquistando seu espaço, especialmente em meio aos concurseiros.

Antes de abordar as diferenças, vamos analisar o que há em comum entre essas ferramentas.

O primeiro aspecto em comum é que ambas se destinam à organização e gestão do tempo dedicado aos estudos, servindo então para a mesma finalidade.

Ou seja, as duas têm o intuito de proporcionar ao estudante um melhor gerenciamento do tempo destinado aos estudos, bem como facilitar a análise do avanço e das pendências existentes.

Tanto nos cronogramas de estudos, quanto nos ciclos de estudos, o estudante realiza a distribuição das matérias a serem estudadas no período que poderá se dedicar a elas.

Assim, toda vez que sentar para se dedicar aos estudos, o estudante tem um mapa para seguir.

Tanto o cronograma quanto o ciclo de estudos servem como um mapa para o estudante.

Ao distribuir o que precisa ser estudado ao longo do tempo disponível, é possível avaliar seu desempenho, prestar atenção ao tempo destinado a cada tópico, evitar repetição desnecessária do estudo de algum tópico, e por aí vai.

Mas apesar das semelhanças, cronograma de estudos e ciclo de estudos não são a mesma coisa!

A diferença entre cronograma e ciclo de estudos é que o primeiro leva em conta horários específicos de estudo e o último considera somente o tempo dedicado a cada disciplina, sem considerar os horários.

Por esse motivo, o ciclo de estudos se mostra muito mais flexível do que o cronograma, porque prevê somente o tempo dedicado à cada disciplina.

Enquanto no cronograma de estudos você estabelece horários determinados para o estudo de cada matéria.

Veja abaixo um exemplo de cada ferramenta para entender melhor a diferença entre cronograma e ciclo de estudos.

No nosso exemplo, o estudante se prepara para um Concurso Público, estudando 20 horas por semana, tendo optado por estudar nesta semana 6 disciplinas: Contabilidade, Português, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional, Direito Tributário e Direito Administrativo.

Exemplo de cronograma de estudos
Cronograma de estudos
Exemplo de ciclo de estudos.
Ciclo de estudos

Perceba: no cronograma você define um horário no seu dia para estudar aquela disciplina.

No ciclo de estudos, por sua vez, você define que irá estudar aquela disciplina “x” horas.

Quando você preenche sua semana, como no nosso exemplo, você vê o cronograma como um calendário, com dias e horas definidos.

Já o ciclo de estudos você só vê a matéria e a quantidade de tempo que precisa se dedicar naquela semana (ou naquele ciclo de “x” horas que você definiu).

Essa é a diferença entre cronograma e ciclo de estudos. Deu pra entender?

É importante que você entenda também que, além de organizar seus estudos, tanto o cronograma quanto o ciclo de estudos podem te ajudar de outras formas.

Você pode traçar uma estratégia e determinar o tempo de estudo de cada matéria de acordo com um peso (dificuldade, relevância, etc.), por exemplo.

Assim, quando for criar seu cronograma ou ciclo de estudos, é importante que você considere alguns fatores particulares pessoais e da sua prova/objetivo.

Cronograma ou ciclo de estudos: qual é a melhor ferramenta?

Sistemas de organização são muito particulares. Por isso não há um certo ou errado, melhor ou pior. Existe aquele que melhor funciona para você.

Você precisa encontrar o método que dê resultados e otimize o seu tempo.

Para tanto, você vai precisar testar e ver o que mais lhe agrada.

O cronograma e o ciclo de estudos têm suas vantagens e desvantagens, sobre as quais falarei mais adiante.

Mas o que eu quero que você compreenda é que esta escolha é totalmente pessoal.

Com certeza existem ferramentas mais assertivas e eficientes que outras. Também há ferramentas mais adequadas para cada tipo de prova.

Para concurso público, por exemplo, em razão da grande densidade e complexidade do conteúdo é necessário fazer muita revisão. E para isso, o ciclo de estudos se mostra mais adequado.

Então para determinar se o cronograma de estudos ou o ciclo é melhor você deve considerar:

  • as suas particularidades;
  • sua rotina de estudos; e
  • seu objetivo/prova;

Para obter resultados com os estudos, é necessário planejar o conteúdo a ser estudado no tempo que tem disponível.

Independentemente de qual seja a ferramenta escolhida, o que você não pode fazer é deixar de ter uma!

Você pode também optar por combinar o cronograma de estudos com horários fixos com o ciclo de estudos, aproveitando-se das vantagens de cada uma delas.

Para te ajudar a escolher qual será sua ferramenta de planejamento dos estudos, vou abordar a seguir sobre as vantagens e desvantagens do cronograma de estudos e depois do ciclo de estudos. Continue lendo!

Vantagens e desvantagens do Cronograma de estudos

O cronograma de estudos consiste na elaboração de uma planilha com os horários de estudo, dias da semana e as matérias a serem estudadas, de acordo com o tempo disponível.

É uma ótima abordagem para quem tem sempre os mesmos horários para estudar ou para quem costuma procrastinar.

Por ser muito simples e básico, pode ser uma vantagem para quem nunca montou um plano de estudo antes.

A vantagem do cronograma de estudos é, além da organização, a ideia de compromisso que ele passa.

Quando fazemos um cronograma, sentimo-nos comprometidos a cumpri-lo. Sabemos que naquele dia, naquele horário é preciso estudar matéria "x".

Mas isso também é uma desvantagem, porque "engessa" o planejamento.

Isso é, se ocorrer um imprevisto ou compromisso que coincida com um dos horários de estudo, será preciso refazer todo o planejamento da semana.

Para retomar os estudos, então, será necessário readaptar toda a sua semana, podendo causar sensação de atraso e acúmulo de matéria.

E algumas pessoas, quando não cumprem aquilo a que se comprometeram, sentem-se frustradas e desmotivadas.

Outra desvantagem é quanto à revisão. Uma vez que se segue horários fixos, passa-se muito tempo sem rever os assuntos, o que deveria acontecer pelo menos em 24 horas.

Por ser tão linear, o cronograma de estudos preenche todo o espaço de tempo com matérias novas, sem dar tempo de rever o que já foi estudado. Mas isso tudo pode ser resolvido com comprometimento e estratégia.

Vantagens e desvantagens do Ciclo de estudos

O ciclo de estudos é mais flexível, porque o estudante define a carga horária total do seu ciclo de estudos (20 horas na semana, por exemplo) e dentro dessa carga distribui as disciplinas conforme o peso de cada uma.

Embora seja flexível quanto aos horários, no ciclo de estudos, o estudo de cada disciplina deve observar rigorosamente a sequência estabelecida, independentemente do tempo de estudo diário.

Ou seja, se você tem 2 horas de estudo no dia de hoje, seguirá as disciplinas que constam na sequência do ciclo, interrompendo o conteúdo no final das 2 horas e reiniciando exatamente de onde parou no dia seguinte.

Assim, se você não conseguir completar o horário determinada para aquela disciplina, é só continuar de onde parou, assim que puder, e estudar até fechar a hora.

Por isso o ciclo de estudos se adapta à rotina do candidato e não o contrário, como ocorre no cronograma.

Também há rotatividade de disciplinas, o que facilita a revisão de matérias e deixa a rotina mais favorável e motivada, otimizando o processo de memorização.

O ciclo de estudos é mais vantajoso ainda para quem trabalha ou tem outros compromissos durante a semana além de estudar, vez que os horários de estudos nestes casos costumam ser "picados".

Agora, se o estudante não é dedicado nos seus estudos, pode enfrentar problemas justamente por ser um método muito flexível: é fácil perder o controle e se deparar com a desorganização dos horários.

Enfim, tanto o cronograma de estudos quanto o ciclo de estudos possuem suas vantagens e desvantagens e a melhor escolha é aquela que funciona melhor para você.

Sugiro que você experimente por uma semana o cronograma e depois o ciclo de estudos e veja a qual dessas ferramentas você melhor se adaptou.

Conta aqui pra gente se você é do time cronograma de estudos ou ciclo de estudos!

Baixe grátis:Como tornar seus estudos mais produtivosAprenda mais, estudando menos! Descubra como aumentar a qualidade dos seus estudos e melhorar a sua produtividade de maneira simples e eficiente.BAIXAR AGORA
Capa eBook
Continue aprendendo
Reforma Administrativa 2020: ainda valerá a pena prestar Concurso Público?

O texto da Reforma Administrativa proposta pelo Presidente prevê o fim da estabilidade e a criação de um vínculo de experiência, fato que causou alarde em meio aos concurseiros.

Comportamento
Conheça os 3 tipos de graduação e saiba como escolher a melhor para você!

Entenda as diferenças entre bacharelado, licenciatura e tecnólogo. Conheça os tipos de graduação e descubra qual é a melhor para você!

Estudos