O que é uma pessoa autodidata e como se tornar uma

O que é uma pessoa autodidata?

Uma pessoa autodidata é aquela que aprende sem ter um professor que lhe ensine ou ministre aulas. A própria pessoa, de maneira independente, com seu esforço particular intui, busca e pesquisa o material necessário para sua aprendizagem.

Você provavelmente conhece pessoas que aprenderam a tocar guitarra ou algum instrumento sozinhas. Que aprenderam inglês, espanhol ou qualquer outra língua estrangeira por conta própria. Elas são pessoas autodidatas.

A palavra autodidata é originária do termo grego ‘autodidaktikos’:

  • auto’ significa ‘a si mesmo’;
  • e ‘didaktos’ significa ‘ensino’.

Pode-se dizer que uma pessoa autodidata é aquela que se instrui por esforço próprio, gerenciando seus processos de aprendizado.

Por causa dessa independência sobre a própria educação, muitas vezes as pessoas autodidatas são vistas como excepcionalmente inteligentes, geniais, fora da curva. Será que elas são mesmo? É o que você vai descobrir neste artigo!

Gif do Sheldon Cooper da série "The Big Bang Theory" acariciando a própria cabeça e dizendo: "Obrigada, cérebro!"
Sheldon Cooper da série "The Big Bang Theory" dizendo: "Obrigado, cérebro!"

Neste artigo você vai conferir:

Eu preciso aprender sozinho para ser autodidata?
Como saber se uma pessoa é autodidata?
Hábitos de uma pessoa autodidata
Quais são as vantagens do autodidatismo?
Como um autodidata aprende?
Pessoas autodidatas são mais inteligentes?
Como ser autodidata?
9 Dicas para ser autodidata
Dificuldades de ser autodidata
Porque você precisa ser autodidata

Baixe grátis nosso eBook:Autodidatismo para iniciantes

Conheça os 5 passos para se tornar autodidata, mudando hábitos e desenvolvendo habilidades complementares. Ser autodidata é mais fácil do que você imagina e nós vamos te provar isso!

Autodidatismo para iniciantes

Eu preciso aprender sozinho para ser autodidata?

Se você nunca aprendeu uma habilidade sozinho, calma! Nem tudo está perdido!

Existem níveis de autodidatismo, os quais variam de pessoa para pessoa. Isso significa que todos podemos ser autodidatas, em maior ou menor grau.

Digamos que você frequente um curso regular, como uma faculdade, por exemplo.

Depois das suas aulas, você pesquisa sobre o assunto tratado pelo professor, lê artigos ou livros a respeito, busca outras informações que vão agregar ao seu conhecimento.

Ao fazer isso, você também está sendo autodidata.

Para que você entenda, o autodidata do mais elevado nível (ou grau, como preferir) não necessita de nenhuma orientação.

Ele é capaz aprender qualquer habilidade, por mais técnica e complexa que seja — como programação, tocar um instrumento, etc. —, sozinho e por seus próprios meios.

Mas se você não consegue aprender certa habilidade 100% sozinho — que é o meu caso com o violão, como contarei a seguir —, saiba que isso não significa que você não é autodidata.

Você pode não conseguir aprender a tocar violão sozinho. Mas isso não quer dizer que não existam outras habilidades que você possa aprender por sua conta.

Durante a adolescência, eu tentei aprender a tocar violão assistindo a vídeos no YouTube e lendo cifras no CifraClub.

Conseguia arriscar algumas notas, mas não sabia o quão certo estava aquilo que eu fazia.

Por não ter um instrutor, eu não consegui evoluir… E com a pouco evolução veio o desânimo, e aí já viu: muito mais fácil do que começar é desistir!

Veja bem, não é porque eu não fui autodidata com o violão, que eu não posso ser para outras coisas.

Como você vai descobrir neste artigo, o autodidatismo é uma habilidade que pode ser desenvolvida por qualquer pessoa.

Agora que você compreendeu o que é ser autodidata ou ter perfil autodidata, continue lendo para descobrir como se tornar uma pessoa autodidata do mais elevado grau (ou nível), e assim, tomar as rédeas da sua educação.

Como saber se uma pessoa é autodidata?

Gif do Sheldon da série The Big Bang Theory dizendo a um colega: "Oh, isso é muito simples"
"Oh, isso é muito simples."

Não raras vezes os autodidatas são confundidos com pessoas que gostam muito de estudar.

Mas não é bem assim…

De fato, pessoas autodidatas normalmente têm mais disposição aos estudos, são mais curiosas e gostam de passar o tempo aprendendo coisas.

No entanto, a diferença está no gosto de estudar sem a ajuda de alguém.

“Estou sempre disposto a aprender, mas nem sempre gosto que me ensinem” — Sir. Winston Churchill

Isso porque os autodidatas sentem mais prazer no processo de aprendizagem do que no resultado final.

Por essa razão, muitas vezes os autodidatas (do mais elevado grau) subestimam cursos regulares, por acreditarem que esse modelo de ensino é limitado.

O autodidatismo refere-se ao processo e desenvolvimento intelectual independente, ou seja, a pessoa vai atrás de aprender algo por sua própria conta, sem a ajuda ou suporte de um professor ou mentor.

Essa iniciativa de buscar o conhecimento de maneira autônoma é uma das formas de identificar uma pessoa autodidata.

Além disso, ela é curiosa. Costuma ir atrás de respostas para todas as perguntas, por mais banais que pareçam ser.

Você já quis saber por que existem pessoas que aprendem rápido?

Para algumas pessoas, autodidata é como se chama uma pessoa que aprende rápido. Este entendimento está equivocado.

A rápida assimilação de informações e aquisição de conhecimento pode ser um sinal de que a pessoa é autodidata, mas nem sempre isso é verdade.

Algumas pessoas podem aprender muito rápido e, ainda assim, não serem autodidatas. Elas podem precisar de instrução de outras pessoas para que aprendam.

Mas lembre-se: todos podemos ser autodidatas. O que muda é o grau de autodidatismo, que em algumas pessoas pode ser muito alto e, em outras, muito baixo.

O grau de autodidatismo é totalmente proporcional ao treinamento dessa habilidade, como você descobrirá mais adiante.

Veja agora os hábitos de uma pessoa autodidata e entenda porque essa habilidade é tão importante para o seu desenvolvimento.

Baixe grátis nosso eBook:Autodidatismo para iniciantes

Conheça os 5 passos para se tornar autodidata, mudando hábitos e desenvolvendo habilidades complementares. Ser autodidata é mais fácil do que você imagina e nós vamos te provar isso!

Autodidatismo para iniciantes

Hábitos de uma pessoa autodidata

São curiosas, o tempo todo

“Ser autodidata é ter a incapacidade de conviver com a dúvida” Gustavo Porto

Pessoas autodidatas têm curiosidade sobre os mais diversos temas e estão sempre dispostas a ir atrás de respostas para suas perguntas.

Estão frequentemente consultando o Google para descobrir informações sobre qualquer coisa, desde como se produz certa variedade de café até como funciona uma usina nuclear.

Qualquer objeto que apareça em sua frente pode se tornar um objeto de análise.

Adoram conversar sobre os mais variados assuntos, com todas as pessoas, porque sabem que dali podem extrair algum conhecimento que satisfaça sua curiosidade sobre o tema.

Essa curiosidade também faz com que as pessoas autodidatas sejam observadoras e prestem atenção aos detalhes que as cercam em todos os tipos de ambientes.

Gif do Sheldon, personagem da série The Big Bang Theory dizendo: "Eu não preciso dormir. Eu preciso de respostas."
"Eu não preciso dormir. Eu preciso de respostas."

Focam em assuntos de seu interesse

Quando se interessam por algum assunto, as pessoas autodidatas estão dispostas a ir fundo no aprendizado e buscar o maior conhecimento possível sobre aquele tema, por seus próprios meios.

Isso não significa que elas não aprendem coisas que não são do seu interesse. Mas sem dúvidas, dedicam-se muito menos a este aprendizado.

As pessoas autodidatas têm o hábito aprofundar o conhecimento sobre temas que despertam seu interesse.

Eu conheço uma pessoa autodidata que adora Rock. Por gostar muito de música, especialmente Rock, a pessoa está por dentro dos principais assuntos que rodeiam esse tema.

Ela sabe sobre as bandas, os instrumentos, entende sobre as técnicas musicais, teoria, conhece a história… e ainda aprendeu (sozinha) a tocar guitarra, baixo e ainda se arrisca em outros instrumentos.

Quando gostam de um assunto, as pessoas autodidatas incorporam o assunto à sua rotina, buscando informações a respeito a todo momento, lendo, vendo vídeos, pesquisando, etc.

Fazem do aprendizado um hábito, como escovar os dentes.

Tomam a iniciativa

Pessoas autodidatas são proativas. Elas tomam a frente da própria educação e não esperam a cobrança ou necessidade para se desenvolverem.

E não poderia ser diferente, afinal estudar sozinho é depender da iniciativa própria para buscar meios de aprender um assunto.

Pessoas autodidatas têm o hábito de tomar iniciativa tanto em projetos profissionais, quanto nos pessoais.

São pessoas que não lamentam não saber de algo“eu queria saber fazer aquilo”, “ah se eu soubesse fazer isso!” —, elas questionam como saber de algo — “como eu faço aquilo?”, “deixa eu tentar fazer isso e ver o que acontece”.

Não saber alguma coisa para pessoas autodidatas não é obstáculo, é oportunidade.

Colocam o conhecimento em prática

“Autodidata é aquele que sangra para descobrir que o sangue é vermelho” — Autor desconhecido

Além de serem empiristas e aprenderem de maneira prática, as pessoas autodidatas costumam colocar o conhecimento adquirido em prática.

Isto é, elas aplicam na vida cotidiana os novos conhecimentos.

Se estão aprendendo uma língua estrangeira, por exemplo, as pessoas autodidatas incorporam a língua à sua rotina, alterando as configurações de linguagens dos seus aparelhos eletrônicos, por exemplo.

Esse é um fato muito positivo e que aumenta a motivação dos autodidatas. Isso porque eles  são capazes de visualizar a função dessa aprendizagem na prática.

Outra forma de colocar o conhecimento em prática bastante comum entre os autodidatas é a participação em fóruns de discussão sobre o tema que estão estudando.

Essa troca de experiências entre pessoas que estão estudando um mesmo assunto é muito valiosa e produtiva.

Quais são as vantagens do autodidatismo?

Conheça agora quais são os benefícios de ser autodidata e entenda porque você precisa desenvolver essa habilidade o quanto antes.

Gif do Sheldon, personagem da série The Big Bang Theory dizendo: "Você sabe que eu estou certo."
"Você sabe que eu estou certo."

Conquistar a independência da sua educação

“O “Autodidata” conquista soberania, capacitação e independência. A parte mais valiosa do processo do autoaprendizado é o regozijo em se conseguir o próprio saber, em conviver com ele, sem depender de outros” — Izzo Rocha

Por não depender da instrução de uma outra pessoa, o autodidata torna seu processo de aprendizado independente.

Não precisa comparecer fisicamente em locais de ensino, depender do horário de outras pessoas ou pagar qualquer valor.

De igual modo, não fica restrito à grade curricular de cursos ou à bibliografia recomendada sob o viés de outra pessoa.

Ao tornar seu aprendizado sua responsabilidade e buscar o conhecimento pelos próprios meios, indo atrás de fontes de sua confiança, o conhecimento do autodidata é, também, independente da opinião de outras pessoas.

Pode-se dizer que o conhecimento do autodidata é imparcial quanto aos valores alheios e totalmente parcial quanto aos valores da própria pessoa.

Desenvolver seu potencial máximo

“Há um grande desejo em mim de sempre melhorar. Melhorar. É o que me faz feliz. E sempre que sinto que estou aprendendo menos, que a curva de aprendizado está nivelando, ou seja o que for, então não fico muito contente. E isso se aplica não só profissionalmente, como piloto, mas como pessoa” — Ayrton Senna

Pessoas autodidatas não são conformadas. Por isso, estão sempre em busca de aprender algo novo ou aprimorar algum conhecimento ou habilidade que já possuem.

A curiosidade que lhes é intrínseca possibilita que se desenvolvam de maneira plena, alcançando os seus potenciais máximos.

Se tornar uma pessoa autodidata fará com que você não permaneça na sua zona de conforto jamais e isso desenvolverá seu potencial.  

Estimular sua criatividade o tempo todo

“Perder tempo em aprender coisas que não interessam, priva-nos de descobrir coisas interessantes” — Carlos Drummond de Andrade

Por não dependerem de ementas de cursos da educação regular ou de planos de aula de algum professor particular, os autodidatas têm a possibilidade de estimular sua criatividade.

Além disso, precisam ir atrás dos meios de alcançar o conhecimento pretendido. Para isso, usam a criatividade para incorporar o aprendizado às suas rotinas.

O fato de aprender por conta própria estimula a criatividade dos autodidatas de várias formas, o que faz com que eles estejam sempre preparados para encontrar soluções.

Ser mais eficiente

Por não depender de outras pessoas para aprender o que quer (ou precisa), a pessoa autodidata acaba sendo mais eficiente.

Imagine comigo: você contratou dois novos funcionários para o seu setor, um é autodidata e o outro não.

No primeiro dia você dá um treinamento básico, sem muitos detalhes, acerca da função de cada um.

Qual deles você acredita que será mais eficiente?

O que for falar com você a cada dúvida que tiver ou o que somente irá te procurar quando for extremamente necessário, pois as dúvidas mais simples ele foi capaz de resolver pesquisando no Google ou pensando por alguns instantes?

Isso mesmo. Esse último é um autodidata e é muito provável que ele seja mais eficiente.

Ser uma pessoa autodidata faz com que você seja mais eficiente em várias tarefas, das mais simples às mais complexas.

Adquirir versatilidade profissional

É bem comum falar sobre soft skills nos dias de hoje e a grande parte das pessoas reconhece que o autodidatismo é uma das habilidades profissionais que mais têm ganhado relevância.

Ser autodidata permite que você se adapte com facilidade, o que o torna um profissional versátil.

Isso possibilita que você explore diversas funções, cargos e profissões até encontrar alguma que realmente lhe encante.

Ganhar vantagem competitiva

Lembra o exemplo que dei antes sobre os dois funcionários, um autodidata e o outro não?

Qual dos dois você acha que teria mais vantagem competitiva no mercado de trabalho?

Se você pensa como eu, concorda que as pessoas autodidatas possuem vantagem competitiva sobre as que não o são, por serem mais eficientes, versáteis e criativas: tudo o que o autodidatismo te proporciona.

Como um autodidata aprende?

Tem quem veja o autodidatismo como uma forma de aprender as coisas bem rápido… será que essa é uma visão correta?

Nem sempre o método utilizado pelo autodidata proporciona que ele aprenda o assunto de maneira rápida. Tudo depende da intenção da pessoa: conhecimentos mais profundo requerem mais tempo de estudo.

Comumente o autodidata aprende por ver um exemplo e copiar por si mesmo. Assim, aprende a técnica ou assunto ao tentar realizá-los.

É por meio da experimentação que o autodidata passa por erros e acertos, até conseguir o resultado final.

O processo de aprendizagem autodidata inclui uma pesquisa intensa sobre o assunto que deseja dominar, além do contínuo exercício, a partir da técnica do "erro e acerto".

Essa é a parte favorita do autodidata, por isso costuma variar muito de pessoa para pessoa.

Gif do personagem Sheldon da série The Big Bang Theory comemorando dizendo "é assim que se faz!"
"E é assim que se faz!"

Existem várias formas de aprender uma mesma coisa e é isso que permite que as pessoas aprendam por sua conta.

Não é somente através da explicação de um professor com trinta anos de experiência sobre o assunto que você será capaz de assimilá-lo.

Assistir a vídeos no YouTube ou participar da discussão em um fórum na internet, por vezes, é muito mais eficiente do que uma aula convencional.

Por isso, as pessoas que são autodidatas aprendem com seu próprio método, e esse método geralmente envolve a prática em algum ponto ou em algum grau.

Pessoas autodidatas são mais inteligentes?

Gif do personagem Sheldon da série The Big Bang Theory dizendo: "Eu choro porque os outros são estúpidos e isso me deixa triste."
"Eu choro porque os outros são estúpidos e isso me deixa triste."

Depois de tudo o que você leu neste artigo, você deve estar se perguntando: será que as pessoas autodidatas são mais inteligentes?

Saiba que elas são. Mas só porque estão empenhadas no desenvolvimento dos seus conhecimentos.

Com a prática constante de aprender sobre diversos temas e diversas habilidades, a pessoa autodidata desenvolve também a sua inteligência.

Isso se explica porque as pessoas que são autodidatas possuem a vontade intrínseca para adquirir conhecimento. Ou seja, a vontade de aprender parte delas.

Pessoas que não são autodidatas tendem a depender de fatores extrínsecos para buscar o conhecimento. Isto é, do estímulo de outras pessoas ou de alguma necessidade externa de aprender algo.

Por esse motivo, autodidatas costumam ser mais inteligentes que aqueles que dependem de fatores extrínsecos para buscar o conhecimento.

Como você vai ver a seguir, assim como a inteligência e a capacidade de aprendizagem, o autodidatismo é treinável.

Agora você deve estar se perguntando:

Posso me tornar autodidata?

Gif do Sheldon da série The Big Bang Theory dizendo: "Isso é uma possibilidade"
"Isso é uma possibilidade."

Enquanto pesquisava para escrever esse artigo, notei que vários sites definiam “autodidata” como sendo um adjetivo ou substantivo para designar uma pessoa que tem a capacidade de aprender algo por conta própria, ou seja, alguém que aprende alguma coisa sozinho.

Isso fez com que eu me questionasse se o autodidatismo é uma capacidade nata do ser humano, ou se somente algumas pessoas nascem com tal “dom”.

Por isso fui pesquisar alguns exemplos de famosos que são autodidatas. Entre eles estavam: Abraham Lincoln, Jimi Hendrix, Machado de Assis, José Saramago, Leonardo da Vinci, Bill Gates, Henry Ford, Walt Disney e Albert Einstein.

Einstein é um dos autodidatas mais famosos da história. Ele foi o “pai” da Teoria da Relatividade, uma das contribuições científicas mais importantes do século XX.

Isso nos faria pensar que talvez o autodidatismo seja uma habilidade exclusiva dos gênios como o Einstein

Gif do Sheldon dizendo: "Meu cérebro é melhor do que o de todo mundo!"
"Meu cérebro é melhor do que o de todo mundo!"

Mas não é! Aprender algo sem auxílio de um instrutor é uma capacidade que, com esforço e dedicação, pode ser desenvolvida por qualquer pessoa.

Sobretudo porque o autodidatismo não é considerado um "dom nato", uma característica que nasce com o indivíduo.

Assim, qualquer pessoa, em tese, pode ser autodidata.

No entanto, algumas pessoas possuem naturalmente essa predisposição de aprendizagem independente.

Portanto, sim você pode se tornar autodidata.

Como ser autodidata?

As pessoas autodidatas são conhecidas pela sua força de vontade e persistência em aprender algo, seja um assunto, um instrumento musical ou um idioma.

Sem a ajuda de um professor que possa instruir os primeiros passos, o autodidata enfrenta bastante dificuldade no começo do processo de aprendizado.

Essas dificuldades diminuem ao passo que o autodidata torna o processo de aprendizado um hábito, e o incorpora na sua rotina.

Para ser um autodidata você precisa aprender a aprender, antes de mais nada. Você precisa descobrir como você aprende melhor, quais métodos e ferramentas funcionam para você.

Depois você precisa criar o hábito de estudar o que você está querendo aprender. Incorpore o estudo ao seu cotidiano, leia a respeito, pesquise, preste atenção aos noticiários. Esteja por dentro do assunto!

Pesquise e leia muito. Faça disso uma prática constante. Empenhe-se em aprender o que você quer e não desanime nos primeiros obstáculos: a recompensa vale a pena.

Veja agora algumas dicas para ser autodidata que separamos para você:

9 Dicas para ser autodidata

1. Tenha horários para estudar

Ainda que seu estudo não dependa de fatores externos, é importante criar uma rotina. Do contrário, fica mais difícil levar a aprendizagem a sério e ter efeitos consistentes.

Identifique os horários mais tranquilos do seu dia para se dedicar aos estudos e evite distrações durante o período.

Estude de maneira séria e dedique seu horário reservado aos estudos para estudar apenas.

O ideal é ter um ambiente confortável e silencioso para conseguir se concentrar sem se distrair com frequência. Esses cuidados aumentam sua chance de gostar dos momentos de estudo.

Você também pode desenvolver um cronograma. Isso o ajudará a ter eficiência e cumprir suas metas.

Se for possível, estabeleça um cronograma diário de estudo. Mesmo que por dia você tenha apenas 30 minutos, que eles sejam destinados especificamente e somente para isso.

2. Estabeleça metas

Quando  fazemos algum curso, o processo de aprendizado já vem formatado, todo planejadinho.

É comum que nele (processo de aprendizado) existam metas de aprendizagem — que são avaliadas por meios de provas, apresentações, trabalhos escritos etc.

Ao estudar sozinho, você não vai receber isso pronto. Essa organização precisa ser feita por você mesmo.

E ela é necessária para que você seja capaz de acompanhar sua evolução.

Além disso, as metas ajudam a se organizar.

Tenha o cuidado de ser realista. Colocar metas impossíveis só vai atrapalhar sua motivação e seus resultados.

Por isso, estabeleça metas e objetivos claros e realistas e estude de forma responsável para que você os consiga alcançar.

Uma boa maneira de não deixar suas metas de lado é escrevê-las em vários lugares.

Faça isso de maneira que você consiga anotar seu progresso. Essa atitude te ajuda a avaliar e mapear o seu progresso, além de te lembrar de se manter motivado.

3. Crie hábitos que te estimulem a estudar

Para se tornar uma pessoa autodidata, você precisa se livrar de hábitos sabotadores e da procrastinação. Crie uma rotina para desenvolver sua aprendizagem e cumprir suas metas.

Quando você perceber o avanço realizado, essa rotina de estudo será ainda mais fácil de ser continuada. A evolução do seu aprendizado te manterá motivado.

As atividades que você realiza fora do horário de estudo também vão te ajudar a ser uma pessoa autodidata.

Para que você consiga criar consistência no estudo independente, você vai precisar de persistência. Manter sua mente livre de estresse contribuirá para seu bom desempenho.

Por isso busque realizar atividades que aliviam o estresse, como exercícios físicos ou atividades que estimulem a criatividade, como desenhar ou escrever.

A leitura de livros que não sejam de assuntos relacionados ao seu trabalho também ajudará.

4. Encontre recursos eficientes

Uma vez que você é o único responsável pela organização de seu processo de aprendizagem, o sucesso dele depende dos recursos que você vai utilizar.

Não é fácil aprender um tema sobre o qual não existem bons materiais de estudo disponibilizados, certo?

Até por isso um dos principais desafios do autodidata é selecionar os recursos mais eficientes para estudar.

Você pode conversar com pessoas experientes na área em que você quer aprender. Elas podem te ajudar com um norte para que você possa começar.

O mais importante de tudo é que você selecione os recursos que melhor funcionam para o seu aprendizado, seja qual for (mas lembre-se de verificar a confiabilidade das informações, sempre!).

5. Utilize a internet como ferramenta de aprendizagem

A quantidade de materiais gratuitos que estão à nossa disposição na internet é impressionante. Já a qualidade destes, não impressiona tanto assim.

Ainda assim, a internet é a melhor aliada para você conseguir desenvolver o autodidatismo.

Mesmo que a qualidade dos materiais gratuitos que encontramos na internet não seja tão impressionante quanto à quantidade, há muito material gratuito bom.

Com a pandemia do Covid-19, a maioria das empresas de educação disponibilizaram inúmeros cursos, webinars, palestras, etc., de maneira gratuita.

Se você souber usar a internet para explorar seu lado positivo, com certeza você achará muitos materiais interessantes e que de fato vão acrescentar para o seu crescimento.

Também é importante dizer que a internet oferece conteúdos em diversas formas: desde livros digitais gratuitos a vídeos gravados e podcasts.

Isso vai ajudar você a variar um pouco o padrão de estudo e permitirá encontrar a maneira que aprende melhor.

6. Invista no seu autoconhecimento

Sem se conhecer bem, como você pretende educar-se por conta?

Identificar suas qualidades, dificuldades, pontos de melhoria, limitações, etc. possibilita que você seja capaz de definir caminhos mais assertivos para desenvolver o autodidatismo.

Existem várias maneiras para que você possa se conhecer melhor, você só precisa encontrar aquela que te deixe mais confortável.

Meditar, dançar, cantar, pintar e escrever são exemplos de atividades que podem ajudar você nesse processo de autoconhecimento.  

7. Avalie seu desempenho

Faça disso uma prática habitual. Ao autoavaliar-se, você se conhece ainda melhor.

Essa avaliação de si mesmo exige um momento de reflexão sobre como você está se comportando diante das metas que estabeleceu para sua vida.

Mas você precisa ser sincero e capaz de reconhecer seus pontos de melhoria. Assim você terá oportunidade de ajustá-los.

Do mesmo modo, reconheça seus pontos fortes para otimizá-los e potencializá-los.

Se você realizar um acompanhamento diário das suas metas, conseguirá com base em dados e indicadores, determinar a evolução que conseguiu desempenhar.

Isso será uma fonte de informação valiosa para avaliar seu desempenho e acompanhar sua evolução.

8. Saia da sua zona de conforto

Não se acomode! Há um mundo de conhecimentos para você desbravar.

Por isso, esteja sempre se desafiando. Procure novas informações, inspire-se em outras pessoas, estabeleça novas metas.

Utilize diferentes ferramentas para te auxiliarem em todo esse processo de aprendizado.

Se você conseguir atingir uma meta que tinha determinado, não pare por aí e estabeleça uma nova meta para substituir a que foi atingida. Desafie-se para que você não fique no mesmo lugar!

Se notar estabilização do rendimento, busque novas fontes de conhecimento e novas formas de aprender, mantendo-se sempre dinâmico.

Busque sempre se conectar com outras pessoas, elas podem ser fonte de inspiração e podem ensinar algo que você não sabia. Isso ajuda você a se manter motivado e a desenvolver uma visão mais criativa das situações.

Muitas vezes, um ensinamento despretensioso, tirado de uma conversa com um amigo, pode te ajudar a solucionar algum problema.

9. Desenvolva uma percepção multidisciplinar

Enxergar pontos de aproximação entre conteúdos, aparentemente nada semelhantes, ajuda a assimilar melhor as informações.

Pessoas que possuem visão multidisciplinar também estão mais próximas de propor soluções inovadoras, pelo fato de conseguirem enxergar um problema sob uma nova perspectiva, que não fora pensada até então.

Treine para aproximar diversas áreas do conhecimento. Uma sugestão é começar a experimentar coisas novas e que provavelmente não faria.

Você pode buscar entender melhor sobre o processo de composição de músicas e pode ser que desse novo conhecimento saia um novo método de estudo.

Dificuldades de ser autodidata

Uma das principais dificuldades do autodidata é validar seu conhecimento.

Medir o avanço e a evolução do aprendizado é parte indispensável do processo. Sem essa validação, não há como saber se você realmente aprendeu.

O autodidata que se propõe a aprender um instrumento, por exemplo, pode equivocar-se quanto à execução de alguma nota sem nem se dar conta.

Acredita estar tocando certo até alguém que entenda do instrumento lhe avisar que está errado.

Além disso, muitas vezes o autodidata tem a impressão de não sair do lugar em relação ao seu aprendizado. E às vezes ele realmente não está…

Gif do personagem Sheldon da série The Big Bang Theory dizendo "Cérebro estúpido" enquanto bate na própria cabeça
"Cérebro estúpido"

É normal o autodidata travar em algum ponto específico do aprendizado, precisando, por vezes, de uma ajuda externa para avançar no processo de aprendizado.

Por isso os autodidatas geralmente participam de fóruns de discussão, grupos de Facebook, comunidades virtuais, etc.

Outra dificuldade do autodidata é ter sua habilidade reconhecida no mercado de trabalho.

Gif do Sheldon dizendo: "Bem-vindo a minha vida."
"Bem-vindo à minha vida."

Embora o autodidatismo esteja sendo cada vez mais valorizado, é comum empresas cobrarem certificados de proficiência em línguas, a título de exemplo, como forma de comprovar o domínio da mesma.

Essa informalidade da educação autodidata é uma faca de dois gumes: torna a educação independente, mas limita algumas oportunidades.

Apesar dessas (e outras) dificuldades que as pessoas autodidatas encontram em seus processos de aprendizado, o autodidatismo compensa.

Se você não concorda comigo, tudo bem. Mas antes de finalizar, permita-me te explicar...

Porque você precisa ser autodidata

Gif do Sheldon dizendo "Por que eu mudaria?"
"Por que eu mudaria?"

O mundo mudou. A educação tradicional, limitada pela escassez de recursos humanos, perdeu espaço para novas modalidades de ensino.

Cursos amplos e de longa duração estão sendo substituídos por vários cursos específicos de curta duração.

A internet possibilitou enorme avanço na democratização da educação, ao tornar acessíveis materiais que outrora eram restritos a quem possuísse recursos financeiros.

A inovação da tecnologia adotou um ritmo acelerado que a capacidade intelectual das pessoas está custando a acompanhar.

Se você não é autodidata, será muito difícil se adaptar às mudanças provocadas pela evolução tecnológica.

Fora que o conhecimento é a nova moeda, e quanto maior for sua capacidade de aprender, maior será o seu sucesso.

Além disso, estudar sozinho deve fazer parte da vida de qualquer pessoa. Você não pode depender de ter um professor ao seu lado para ensinar tudo o que você precisa saber o tempo todo.

É impossível "crescer na vida" se restringir sua educação ao ensino regular.

A curiosidade é necessária à sobrevivência e evolução do indivíduo que pretende fazer a diferença no mundo — não apenas ocupar espaço no planeta.

Mas veja bem, só tem porque você ser autodidata se você quer se desenvolver, tornar-se uma pessoa interessante, altamente capacitada e eficiente… caso contrário, o autodidatismo não é para você!

Quem desenvolve o autodidatismo não conhece limites e pode dominar vários assuntos.

Ser autodidata é ter liberdade de estudar pelos próprios meios, escolher as próprias fontes de informação, avançar no ritmo e no sentido que julgar mais adequado.

Se você quer se destacar na vida (não apenas profissionalmente), ser autodidata é a melhor habilidade que você pode desenvolver.

Neste artigo eu te expliquei o que é uma pessoa autodidata ou que tem perfil autodidata, falei dos hábitos, desafios, vantagens e ainda dei algumas dicas para ajudar você a se tornar autodidata.

Antes de me despedir, gostaria de saber: você está pronto para tomar as rédeas da sua educação?

Baixe grátis:Organize & Estude melhorSem fórmulas prontas ou dicas rasas, descubra como criar um método de organização próprio e definitivo para melhorar seus estudos imediatamente.BAIXAR AGORA
Capa eBook
Continue aprendendo
Não sabe o que fazer? Melhore essas 7 habilidades universais

Você não sabe para onde e ir e por isso fica sempre parado? Pare de perder o seu tempo e aceite a incerteza! Ela pode te levar para frente também!

Soft Skills
Leia isso se você tem problemas para terminar o que começou

A compreensão que mudou a minha vida. E pode mudar a sua também.

Comportamento