Os 4 pilares da Educação e por que você precisa conhecê-los

Os 4 pilares da educação definidos pela Unesco foram elaborados pela Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI e publicados no relatório: Educação: um tesouro a descobrir, em 1999.

Nesse relatório, foram definidos os quatro tipos de aprendizados considerados essenciais para que as crianças se desenvolvam cognitiva e socialmente. São eles:

  1. aprender a conhecer;
  2. aprender a fazer;
  3. aprender a conviver;
  4. aprender a ser.

É sobre cada um destes pilares que vamos tratar neste artigo.

Mas antes, é importante contextualizar os quatro pilares da educação no contexto dos desafios no século XXI. Dessa forma, você será capaz de compreender melhor o alcance do sentido de cada um dos pilares.

Desafios da Educação no Século XXI

Em outra oportunidade, já escrevi aqui no blog sobre os problemas que o modelo da educação tradicional enfrenta na Era Digital.

O acesso ilimitado à informação tornou necessária uma revolução na educação, o que ainda não aconteceu. Percebe-se na prática que o modelo educacional se encontra defasado, não atende às demandas da sociedade e das pessoas como indivíduos.

Isso porque, segundo o relatório da Unesco,

“À educação cabe fornecer, de algum modo, os mapas de um mundo complexo e constantemente agitado e, ao mesmo tempo, a bússola que permita navegar através dele.”

Com isso, os autores do relatório quiseram dizer que não basta que as escolas ensinem conteúdos (mapas) aos alunos. Precisam, também, ensiná-los a aprender por conta própria (bússola).

Isso porque a sociedade vem passando por constantes transformações. A tecnologia evolui em ritmo exponencial e, agora, a educação continuada (lifelong learning) tornou-se um imperativo econômico.

Para sobreviver à nova Economia do Conhecimento (como alguns autores se referem ao novo cenário econômico), os indivíduos precisam desenvolver habilidades e adquirir conhecimentos durante todas as suas vidas.

Como dito no relatório,

“Não basta, de fato, que cada um acumule no começo da vida uma determinada quantidade de conhecimentos de que possa abastecer-se indefinidamente. É, antes, necessário estar à altura de aproveitar e explorar, do começo ao fim da vida, todas as ocasiões de atualizar, aprofundar e enriquecer estes primeiros conhecimentos, e de se adaptar a um mundo em mudança.”

Você precisa compreender que a educação é algo que nunca chega ao fim. Um processo que nunca termina. E é por isso que os 4 pilares da educação são tão importantes para a formação de indivíduos nos novos tempos.

Outro aspecto importante a se mencionar é sobre a criatividade. O modelo atual de ensino não estimula a criatividade das crianças e, por causa disso, quando estas alcançam a idade adulta, pouco lhes resta neste quesito.

Este é o alerta feito por Ken Robinson em sua famosa palestra “Será que as escolas matam a criatividade?” (2006). Vale a pena ouvir o que ele tem a dizer.

Ao contrário do que o modelo tradicional de ensino tem feito, um modelo apropriado aos novos paradigmas sociais deveria descobrir, reanimar e fortalecer o potencial criativo e, assim, revelar o tesouro escondido em cada um dos indivíduos.

Para isso, seria necessário ultrapassar a visão meramente instrumental da educação, que ainda hoje é considerada como a via obrigatória para obter certos resultados (como conseguir um emprego).

É preciso ter em mente que o ser humano é o centro do processo educacional e por esse motivo, faz-se necessário instrumentalizar os indivíduos para que possam ser protagonistas do seu próprio desenvolvimento.

Neste sentido, as quatro aprendizagens fundamentais (os 4 pilares da educação), são ao longo de toda a vida, os pilares do conhecimento para cada um de nós. Por isso é tão importante que você os conheça.

Bora entender do que se tratam esses quatro pilares da educação?

Os 4 pilares da educação: as bases para o conhecimento durante toda a vida

A palavra aprendizagem é o ponto-chave destes pilares e ela contempla diversas dimensões nas quais o ser humano pode ser desenvolvido.

A aprendizagem se dá de maneira contínua e multifacetada. Não se limita apenas à aquisição de conhecimentos, vai além: estimula o indivíduo a aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser.

Conheça agora cada um dos 4 pilares da educação.

1. Aprender a conhecer

O primeiro pilar refere-se à aquisição dos instrumentos da compreensão, à busca pelo conhecimento. ‌‌

Trata-se da motivação que o educador deve estabelecer no educando, no intuito de despertar neste o interesse pela aquisição de conhecimentos e experiências.‌‌

Os indivíduos devem ter o desejo intrínseco de conhecer mais sobre o mundo que os cercam. ‌‌

Aprender a conhecer não se trata da aquisição de um repertório de saberes, mas do domínio dos instrumentos do conhecimento. ‌‌

Essa aprendizagem favorece o despertar da curiosidade intelectual, estimula o sentido crítico e permite compreender o real, mediante a aquisição de autonomia na capacidade de discernir. É, assim, o primeiro estímulo à independência intelectual. ‌‌

Por isso, o primeiro dos 4 pilares da educação trata-se do “aprender a aprender”, exercitando a curiosidade, a atenção, a memória e o pensamento. ‌‌

É interessante ressaltar que o processo de aprendizagem pode ocorrer em qualquer experiência.

Assim, a educação deve conseguir transmitir às pessoas os estímulos para que elas continuem a aprender ao longo de toda a vida, na escola, no trabalho, mas também fora destes ambientes.

2. Aprender a fazer‌‌

Aprender a fazer remete-nos à aprendizagem por meio da experiência e da prática, o que torna o processo de aprendizagem mais significativo. ‌‌

Além de aprender a conhecer, também precisamos aprender a fazer, para assim podermos agir sobre o meio que nos envolve.

Não se trata, todavia, da ideia de simplesmente preparar os indivíduos para alguma tarefa específica, para o mercado de trabalho ou para determinada profissão. Esse modelo educacional atendia muito bem à Era Industrial. No entanto, esta ficou no passado.‌‌

Deste modo, a educação deve ter o objetivo de ensinar às pessoas o processo de fazer toda e qualquer coisa pelas quais elas se interessem. ‌‌

Deve-se, portanto, estimular o descobrimento das aptidões que cada indivíduo possui e desenvolvê-las de forma prática, além do conhecimento teórico.

3. Aprender a conviver‌‌

Este pilar ressalta o respeito ao próximo, o pluralismo de ideias e a cooperação. ‌‌

Vivemos em um mundo heterogêneo e cada vez mais conectado. Dessa forma, cada vez mais, temos a oportunidade de conviver com diferentes culturas, ideias, crenças e opiniões.‌‌

Aprender a conviver proporciona a construção de laços afetivos e fortalece a empatia.‌‌

Não se trata de uma aprendizagem simples, uma vez que, naturalmente, os seres humanos têm a tendência de supervalorizar as suas qualidades e as do grupo a que pertencem, e assim, alimentar preconceitos desfavoráveis em relação aos outros.‌‌

Este é, certamente, um dos grandes desafios da educação, sendo proporcional à sua importância.

4. Aprender a ser

Por fim, o quarto e último pilar da educação, segundo a Unesco, é o aprender a ser.‌‌

Trata-se da compreensão de si mesmo, da introspecção e do autoconhecimento. ‌‌

Este aprendizado supõe a maturação cerebral, isto é, desenvolver a maturidade do indivíduo. Assim, ele é capaz de controlar a própria conduta.‌‌

Tal como os demais pilares, o aprender a ser é um processo contínuo e se estende por toda a vida.‌‌

A intenção desses 4 pilares da educação é a contribuição para o desenvolvimento total da pessoa. Este desenvolvimento total abrange espírito, corpo, inteligência, sensibilidade, responsabilidade pessoal e todas as demais esferas da vivência humana.‌‌

As pessoas devem ser preparadas para elaborar pensamentos autônomos e críticos. Para formular os seus próprios juízos de valor, de modo a poder decidir, por si mesmo, como agir nas diferentes situações as quais será exposto durante a vida.

Além disso, nesta Era marcada por mudanças repentinas e disruptivas, na qual um dos principais motores é a inovação, deve ser dada importância especial à imaginação e à criatividade. ‌‌

Considerações finais

Aprender a conhecer, fazer, conviver e ser são os 4 pilares da educação, de acordo com a Unesco. ‌‌

Embora refiram-se a educação formal das crianças, é evidente que se estendem também aos adultos e podem ser facilmente aplicados para nortear a educação informal e até mesmo a autodirigida.‌‌

É por isso que você, que está em busca do seu desenvolvimento como ser humano, deve se apoiar também nestes quatro pilares e aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser.‌‌

Assim, você será capaz de desenvolver ao máximo seu potencial, tornando-se uma pessoa melhor (e mais inteligente!). ‌‌

Continue a sua busca pelo desenvolvimento aqui, temos vários artigos que podem ajudar você neste processo! ‌‌‌‌‌‌‌‌‌‌

Baixe grátis:Organize & Estude melhorSem fórmulas prontas ou dicas rasas, descubra como criar um método de organização próprio e definitivo para melhorar seus estudos imediatamente.BAIXAR AGORA
Capa eBook
Continue aprendendo
Entenda o que são os Nativos Digitais e descubra a maior contradição da nova Era

Embora a internet faça parte de toda a experiência de vida dos Nativos Digitais, eles são, em grande parte, Analfabetos Digitais. Confira!

#original
Lifelong learner: entenda a importância da educação continuada e descubra como se tornar um eterno aprendiz

O lifelong learning se tornou um imperativo econômico. Entenda porque a educação continuada é tão importante e aprenda a se tornar um lifelong learner!

Comportamento