Independência Intelectual: como ser livre de verdade na Era da Informação

A Era da Informação, também chamada de Era Digital ou Era Tecnológica, é o período histórico em que vivemos.

Ela é caracterizada principalmente pela popularização da Internet e de novas tecnologias e surge como resultado das diversas transformações digitais e tecnológicas experienciadas no mundo inteiro.

Essa nova Era trouxe imensas mudanças sociais, culturais e comportamentais.

No mercado de trabalho essa transformação ocasionou profundas e irreversíveis alterações, sendo que a tecnologia está substituindo inúmeras profissões, as quais podem até mesmo desaparecer nos próximos anos.

Neste cenário, como ocorreu em outras Eras, o ser humano foi obrigado a se adaptar.

Aprender a utilizar as novas tecnologias, desenvolver habilidades que não podem ser executadas por computadores (soft skills) e tornar-se receptivo às mudanças é crucial nesta nova Era.

Em meio a todas essas transformações que estão acontecendo, observa-se a importância de ser independente intelectualmente. Isto é, saber pensar e aprender por conta própria, para assim ser capaz de se adaptar aos mais diversos contextos.

Você sabe o que é independência intelectual? Sabe como ela pode ajudar você? Se não sabe, está no lugar certo.

Neste artigo você vai aprender o que é independência intelectual, conhecer os 4 pilares e, ainda, descobrir porque você deve buscá-la.

Antes de iniciarmos, devo avisar que essa leitura pode transformar a sua vida e, uma vez que você compreenda a mensagem deste texto, certamente vai iniciar uma nova jornada.

Quero dizer a você que nós estaremos contigo e que todo o nosso conteúdo é para te ajudar neste percurso. Conte com a Apetrecho e boa leitura!

O que é Independência Intelectual?
Os 4 Pilares da Independência Intelectual
Lifelong Learning
Mentalidade de Crescimento
Meta-aprendizado
Autodidatismo
Porque você deve buscar a Independência Intelectual

O que é Independência Intelectual?

Independência Intelectual pode ser definida como a consciência e o domínio do processo de aprendizagem pelo próprio indivíduo, o qual instrui-se por interesse pessoal ou profissional sem necessitar do auxílio de outras pessoas.

É a postura adotada por quem deseja evoluir e desenvolver-se ao máximo, explorando sua capacidade cognitiva de maneira autônoma.

Ter independência intelectual é ser dono do próprio pensamento e ter autonomia sobre a própria inteligência. Isto é, ter o pensamento livre de influências externas, alcançando conclusões a partir das experiências e aprendizagens pessoais.

Significa não precisar de outras pessoas para aprender o que precisa ou deseja e escolher seus objetos de aprendizagem, sem que ninguém lhe imponha.

Ser independente intelectualmente é ter a liberdade para decidir o que, como, quando e onde aprender. Significa tomar as rédeas da própria educação para ter sua inteligência livre da vontade de outras pessoas.

A pessoa que alcança a independência intelectual, forma seus conhecimentos através do esforço próprio, seja pelo estudo ou pela experiência. Ninguém lhe conta, ela vê com os próprios olhos.

Ela também decide sobre o que vai conhecer. Informa-se em fontes nas quais confia e sobre os assuntos que lhe interessam. Aprende habilidades não apenas porque precisa, mas especialmente porque reconhece a importância de desenvolvê-las.

Não se limita, em hipótese alguma, à educação tradicional. Ainda que busque um diploma regular, vai muito além da grade de qualquer curso, expandido os horizontes do conhecimento de forma autodidata, explorando novas ideias pelo esforço próprio.

Por ter o domínio do processo de aprendizagem, o independente intelectual aprende coisas novas diariamente, não só porque sabe dos efeitos positivos que isso tem para sua vida, mas também porque sente prazer em aprender.

Se você está em busca de desenvolver o seu potencial máximo, ser mais inteligente e independente, a independência intelectual é, sem dúvidas, o melhor caminho.

Vale dizer, ainda, que a independência intelectual não é um fim em si mesma. Não deve ser encarada como um objetivo final a ser perseguido, mas como um meio para alcançar outros objetivos.

Faz parte de uma transformação existencial, na qual o indivíduo se empodera de sua intelectualidade, criando consciência não apenas sobre sua inteligência, mas também da sua existência e o que fará com ela.

Mas não se engane: alcançar a independência intelectual não é algo simples e não ocorre da noite para o dia.

É preciso tomar consciência de vários aspectos da sua personalidade, ter autoconhecimento, adotar uma mentalidade que proporcione essa transformação e desenvolver habilidades, como o autodidatismo.

Para isso, nós da Apetrecho Digital, desenvolvemos um método que possui quatro pilares: lifelong learning, mentalidade de crescimento, meta-aprendizado e autodidatismo.

Se você compreender esses conceitos e conseguir aplicá-los à sua vida, com certeza estará mais próximo de alcançar a independência intelectual. Continue lendo para conhecê-los.

Os 4 Pilares da Independência Intelectual

Representação da busca pela independência intelectual, comparando a uma escalada.
A busca pela independência intelectual, compara-se a uma escalada. 

Para alcançar a independência intelectual, ou ao menos aproximar-se da ideia que temos do que ela seja, é indispensável que se domine o processo de aprendizagem.

Isso quer dizer que, para o indivíduo se tornar independente intelectualmente, ele precisa necessariamente saber aprender sozinho.

Por saber aprender sozinho deve-se compreender não apenas o aprendizado autodidata, mas também tudo aquilo que está ao redor: escolha do tema/habilidade, método, motivos, finalidades, etc.

Pensando nisso, definimos 4 pilares para a independência intelectual, sendo eles o lifelong learning, mentalidade de crescimento, meta-aprendizado e autodidatismo.

Confira a seguir sobre o que se trata cada um deles e dê o primeiro passo rumo à sua independência!

Lifelong Learning

O Lifelong Learning, que pode ser traduzido como Educação Continuada, é a busca pelo aprendizado de novas habilidades e assuntos durante toda a vida.

Consiste num processo de qualificação contínua, tanto no âmbito profissional, quanto acadêmico ou pessoal.

Ao qualificar-se constantemente, o indivíduo além de desenvolver as habilidades e aprender sobre os assuntos do seu interesse, amplia seu arcabouço de conhecimentos (inteligência cristalizada) e estimula seu cérebro a realizar novas conexões, melhorando sua capacidade cognitiva (inteligência fluída).

Assim, pode-se dizer que o lifelong learning proporciona o aumento da inteligência da pessoa que o pratica, em virtude deste viver em contínuo processo de aprendizagem.

Por essa razão, o lifelong learning é um pilar para a independência intelectual.

Mentalidade de Crescimento

A Mentalidade de Crescimento (Growth Mindset) é o pensamento de quem acredita em si e no seu potencial. Quem tem mentalidade de crescimento, sabe que pode aprender e fazer tudo o que quiser.

Com essa mentalidade, os desafios são atrativos e os erros oportunidades para novos aprendizados.

Ter a consciência de sua capacidade e não se deixar influenciar por crenças limitantes é indispensável para o alcance da independência intelectual.

Meta-aprendizado

Meta-aprendizado é o aprender sobre aprender. Trata-se da análise do próprio processo de aprendizagem.

Nesta análise, busca-se responder aos seguintes questionamentos:

  1. O que eu quero aprender?
  2. Por que eu quero aprender?
  3. Como eu vou aprender?

Ao realizar essa análise, o indivíduo adquire consciência sobre o processo necessário para alcançar seu objetivo de aprendizagem.

Com o meta-aprendizado, a pessoa não sai logo lendo sobre o assunto que deseja instruir-se. Antes disso, ela analisa qual é a melhor forma de aprender. Dessa forma, seu estudo é muito mais eficiente e assertivo.

Aprender a realizar essa análise e construir mapas de meta-aprendizado é bastante útil à independência intelectual, pois assim a pessoa consegue perceber como ela aprende melhor, quais ferramentas e métodos melhor atendem suas necessidades.

Essa autoanálise complementa o processo de autoconhecimento e torna a busca pela independência intelectual mais eficiente.

Autodidatismo

O autodidatismo é a habilidade que vai te proporcionar a liberdade intelectual. Sem aprender a ser autodidata, você ficará dependente de cursos regulares e professores.

Ser autodidata significa aprender sem ter um professor que lhe ensine ou ministre aulas. A própria pessoa, de maneira independente, com seu esforço particular intui, busca e pesquisa o material necessário para sua aprendizagem.

Assim como qualquer outra habilidade, o autodidatismo pode ser desenvolvido durante a vida, pois não se trata de um dom nato, isto é, que nasce com a gente.

Também não é uma habilidade exclusiva dos gênios. Toda e qualquer pessoa pode se tornar autodidata se tiver persistência e força de vontade.

Porque você deve buscar a Independência Intelectual

Vivemos na Era da Informação. A evolução da tecnologia revolucionou todos os aspectos da sociedade.

Uma das transformações mais profundas ocorreu no mercado de trabalho.

Deixamos para trás a Era Industrial, na qual a dinâmica era aprender a fazer muito bem uma única coisa e fazê-la o resto da vida.

Bastava dominar uma área específica ou ter apenas uma habilidade desenvolvida e pronto: emprego garantido o resto da vida!  

Com o avanço da tecnologia, muitas funções dentro das empresas e indústrias já passaram a ser realizadas por computadores ou robôs. Muitas profissões podem até desaparecer nos próximos anos, conforme indicam as pesquisas.

É neste cenário que se observa a importância de aprender. Aprender novas habilidades, aprender a utilizar a tecnologia, aprender a ser interdisciplinar, aprender, aprender e aprender.

Quem não aprende, fica obsoleto. Afinal, as mudanças que antes ocorriam de uma geração para outra, agora são constantes e diárias.

Precisa ser ligeiro para acompanhar todas as tendências e, ainda assim, chegamos ao ponto de ser humanamente impossível acompanhar a evolução da tecnologia, como você pode observar no gráfico abaixo:

Gráfico da adaptabilidade humana de Eric Teller. (Fonte: FRIEDMAN, Thomas L. Thank you for being late: An optimist’s guide to thriving in the age of accelerations. Farrar, Straus and Giroux, p.44, 2016)
Gráfico da adaptabilidade humana de Eric Teller. (Fonte: FRIEDMAN, Thomas L. Thank you for being late: An optimist’s guide to thriving in the age of accelerations. Farrar, Straus and Giroux, p.44, 2016)

Isso significa que a capacidade de adaptação do ser humano não cresce na mesma proporção que a evolução da tecnologia. Ou seja, chegamos ao ponto que a tecnologia muda mais rápido do que nós conseguimos nos acostumar a ela.

Um bom exemplo são os celulares. Todos os anos são lançados novos modelos, tornando os celulares do ano anterior ultrapassados, sendo que algumas pessoas nem tiveram chance de aprender a utilizar aquele modelo anterior…

O fato é que, para sobreviver no mercado de trabalho, as pessoas precisam aprender coisas novas todos os dias.

Quem se negar a isso, por resistência ou preguiça, será deixado para trás e substituído ou por quem se esforçou e aprendeu, ou por um robô.

Esse é o contexto atual. Nele, surge essa necessidade da independência intelectual.

Quem aprender a se instruir de forma independente, compreender essa indispensabilidade do desenvolvimento constante, estará adaptado ao novo mundo.

Dominar o processo de aprendizagem, isto é, aprender a aprender, ter a mentalidade certa que lhe impulsione à esta busca pelo aprendizado, saber aprender sozinho e reconhecer a importância da formação continuada durante toda a vida não é nem um diferencial nos tempos de hoje. É o mínimo que você, tendo consciência de tudo isso que leu aqui, deve fazer.

Assim, a prática do lifelong learning (educação continuada), a adoção da mentalidade de crescimento, a análise do processo de aprendizagem através do meta-aprendizado e o desenvolvimento do autodidatismo são a chave para o sucesso na nova era, pois com eles você pode alcançar a sua independência intelectual.

A independência intelectual, por sua vez, será a característica do mais forte. Daquele que sobreviverá a esta Era do Conhecimento, pois quem for independente no processo de aprendizagem, certamente conseguirá se adaptar aos novos tempos.

Feliz ou infelizmente, essa é a realidade em que vivemos e sobre a qual precisamos nos conscientizar.

Com a independência intelectual, você estará preparado para enfrentar todo e qualquer desafio que já existe e os que poderão surgir nos próximos instantes.

Sim, instantes. A qualquer momento, tudo pode mudar. Se você for capaz de entender essa nova dinâmica social e ter independência intelectual, não há o que temer.

Caso contrário, acho bom você retornar ao início deste texto e lê-lo novamente até compreender a mensagem.

O mais importante disso tudo é que você perceba que não pode ficar parado. Perseguir a independência intelectual é o melhor que você pode fazer neste momento, e é o que está ao seu alcance.

Não podemos controlar o mundo que nos cerca, mas podemos controlar nossa interação com ele. A forma mais inteligente de fazer isso, você já sabe.

Nós da Apetrecho Digital temos como missão ajudar você a alcançar sua Independência Intelectual. Todos os nossos artigos e materiais são para aproximar você deste objetivo.

Conte com a gente para encarar essa jornada e não tenha medo: você vai conseguir!

Baixe grátis:Organize & Estude melhorSem fórmulas prontas ou dicas rasas, descubra como criar um método de organização próprio e definitivo para melhorar seus estudos imediatamente.BAIXAR AGORA
Capa eBook
Continue aprendendo
Por que você precisa criar hábito de aprender coisas novas o mais rápido possível

Confira 6 dicas para criar o hábito de aprender coisas novas e entenda sua importância.

Comportamento
O que é inteligência e por que ela é tão valorizada?

Se você acredita que pessoas inteligentes são somente aquelas que dominam o raciocínio lógico-matemático, leia esse texto! Descubra os 9 tipos de inteligência e confira 11 dicas para ser mais inteligente.

Aprendizagem