O que é a Curva de Aprendizagem e como você pode aplicar essa ferramenta na sua vida

Você é uma pessoa comprometida com seus estudos e principalmente com sua aprendizagem?

A maioria das pessoas não é.

Em um mundo onde tudo está mudando rapidamente, a única coisa de que precisamos continuamente criar e dominar somos nós mesmos.

A maioria das pessoas, seja durante os estudos ou durante suas carreiras, não se coloca conscientemente em uma curva de aprendizado acelerada.

Para viver da melhor maneira possível, você deve buscar constantemente oportunidades para exigir mais de si mesmo.

Em cada estágio da vida, você deve saber o que está fazendo ou buscando, e deve fazer isso de forma estruturada, para conseguir aproveitar ao máximo seu tempo.

As pessoas, no geral, precisam de alguma ferramenta que as auxilie na jornada de crescimento, pois sem isso elas param de se esforçar.

A Curva de Aprendizagem veio como uma forma de tentar melhorar o crescimento de habilidades, já que demonstra através de um gráfico, a melhora gradual de cada um.

Se você ficou curioso para saber mais sobre isso, leia esse artigo até o final e aprenda como funciona esse segredo da produtividade.

O que é a curva de aprendizagem?

A Curva de Aprendizagem (em inglês chamada de Learning Curve) é uma  representação matemática utilizada para verificar o desempenho de trabalhadores quando submetidos a tarefas repetitivas.

O conceito foi idealizado pelo professor e engenheiro aeronáutico Theodore P. Wright, em 1936, como resultado de sua observação do processo de redução nos custos de montagem dos aviões durante a Primeira Guerra Mundial.

Ele constatou que a repetição faz com que o trabalhador demande menos tempo para a realização da tarefa cuja ele já possui experiência.

Esse fato pode ser justificado pela familiaridade adquirida com os meios de produção, pela adaptação às ferramentas utilizadas e pela criação de estratégias alternativas ou atalhos para a realização da tarefa.

A ferramenta da curva de aprendizagem no treinamento de novos colaboradores pode ser muito útil para monitorar o desempenho destes.

A teoria da curva de aprendizagem afirma que o esforço para completar uma tarefa deve levar menos tempo e esforço quanto mais a tarefa é realizada ao longo do tempo.

A curva de aprendizagem pode ser utilizada por qualquer pessoa, para medir a melhora no treinamento de uma nova habilidade.

Se você quer aprender mais sobre isso, continue lendo o artigo!

Quais as vantagens de entender sobre a Curva de Aprendizagem?

É comum associar a utilização de Curvas de Aprendizagem à ideia de falta de experiência.

Na realidade, os indicadores expressos através da utilização deste tipo de curva têm sido utilizados para aferir e avaliar o tempo necessário para que cada indivíduo estabilize sua produtividade e seu progresso seja calculado.

Por exemplo, quando um trabalhador é contratado ou transferido para exercer uma tarefa sem experiência, é de se esperar que seu ritmo de produção seja menor quando comparado a um funcionário mais experiente.

Na lógica da Curva de Aprendizagem, espera-se que a quantidade de tempo necessária para que ele conclua sua tarefa seja menor a cada vez que a tarefa for realizada.

Dessa forma, a unidade de tempo diminuirá de forma que seguirá um padrão previsível e capaz de ser mensurável para o planejamento de atividades futuras.

Portanto, através da utilização de curvas de aprendizagem, é possível otimizar os estudos, produção ou desempenho e reduzir perda de tempo ou material.

Além de se programar, estimar prazos e alocar recursos, permite ainda que você adote um treinamento baseado em fatores como: existência de conhecimentos prévios, facilidade de reter conhecimento e realizar as atividades com destreza, complexidade da tarefa a ser realizada e também a motivação para realizar a tarefa ou aperfeiçoar a habilidade.

O objetivo da aprendizagem é adquirir conhecimentos e também modos de utilizá-los de maneira correta e eficaz durante o desempenho de determinada atividade.

Normalmente, a maioria das pessoas experimenta uma curva de aprendizagem na educação acentuada no início, quando começam uma nova experiência de estudos e, em seguida, essa inclinação diminui à medida que gradualmente domina o assunto.

A Curva oferece insights fascinantes sobre como as pessoas aprendem e depois usam essa aprendizagem para melhorar o desempenho na nova habilidade ou no trabalho.

Como interpretar a teoria sobre a curva de aprendizagem

Uma curva de aprendizagem é a correlação entre o desempenho de um aluno em uma tarefa, por exemplo, e o número de tentativas ou tempo necessário para concluir a tarefa.

Isso pode ser representado em um gráfico como uma proporção direta, assim como em uma fórmula matemática.

Não podemos ignorar os esforços empregados em aprender uma nova habilidade. Mas não podemos deixar que a vontade de acelerar e escalar a curva acabe nos transformando em verdadeiros Sísifo, empurrando a pedra para vê-la caindo ladeira abaixo.

Precisamos de método, de estudo e de dedicação para aprender definitivamente um conteúdo.

Mas principalmente, precisamos entender para que serve a teoria da curva de aprendizagem e como ela é construída.

Aplicações do termo “curva de aprendizagem”

Quando você começa a ler sobre o tema Curva de Aprendizagem, se depara com o termo escrito em duas formas. Mas afinal, é a Curva de Aprendizagem ou Aprendizado?

Apesar de serem termos parecidos, há uma pequena diferença de sentido entre "aprendizado" e "aprendizagem".

Aprendizado se refere ao processo de aprender. Refere-se à duração desse processo. Nesse caso, teria o mesmo sentido de aprendizagem.

Por exemplo: "O aprendizado da teoria musical foi complicado."

Já o termo aprendizagem se refere à ação de adquirir conhecimentos (até mesmo práticos) para exercer uma certa atividade profissional.

Por exemplo: "Ele terminou a graduação em engenharia, agora só falta a aprendizagem prática."

Pode ainda se referir ao tempo que dura essa preparação, como em “uma aprendizagem de 6 meses é o suficiente”.

Neste contexto, as duas formas são corretas e representam a ferramenta.

Porém, existem ainda duas formas de aplicar esses termos: generalizado e quantitativo.

  • Generalizado

A Curva de Aprendizagem costuma ser usada para descrever o tempo e o esforço necessários para aprender algo desafiador.

A aplicação pode ser ampla e generalizada, como descrever a curva de aprendizado envolvida na aprendizagem da leitura.

Nesses cenários, uma representação gráfica usando matemática não está sendo aplicada para explicar a progressão do aprendizado.

O termo é, portanto, usado como uma descrição qualitativa da progressão da aprendizagem ao longo do tempo.

  • Quantitativo

A aplicação quantitativa é onde modelos matemáticos são criados para representar a taxa de proficiência ou domínio de uma tarefa.

Este modelo de curva de aprendizado só é aplicável quando usado para medir a taxa real de progresso para completar uma tarefa específica em relação ao tempo.

A tarefa precisa ser repetível, mensurável e consistir em apenas uma variável dentro de um procedimento. Não pode medir um processo inteiro sozinho.

Fórmula da curva de aprendizagem

Ao utilizar o modo quantitativo, faz-se uma representação gráfica e matemática do tempo que a pessoa precisa para adquirir um nível maior de conhecimento em determinado assunto ou tarefa.

Para isso, utiliza-se a fórmula da curva de aprendizagem, que é representada por:

Onde:

  • y é o tempo médio ao longo da duração medida;
  • a representa o tempo para completar a tarefa pela primeira vez;
  • X representa a quantidade total de tentativas concluídas;
  • b representa a inclinação da função.

A fórmula pode ser usada como uma ferramenta de previsão para desempenho futuro.

Essa fórmula serviu como base para vários outros pesquisadores e estudiosos. Ela foi modificada, adaptada e empregada para diferentes fins.

Hoje em dia raramente se aplica puramente essa fórmula, já que ela não representa uma curva e sim uma reta descendente. Mas ela deu origem a todas as outras.

Os modelos mais famosos são o Stanford-B e o Plateau.

A representação dos gráficos de aprendizagem fica assim:

Representação gráfica de vários modelos e fórmulas da curva de aprendizagem
Representação gráfica de vários modelos e fórmulas da curva de aprendizagem

Existem sites e ferramentas online que podem ajudar a montar um gráfico personalizado, você só precisa recolher os dados do tempo que demora para terminar um exercício, uma tarefa ou para repetir o que quer que você esteja aprendendo.

Curva de aprendizagem na educação

A aprendizagem é um processo orientado para objetivos, no qual os alunos fazem escolhas conscientes e trabalham em direção aos objetivos do que querem aprender.

Os alunos autodidatas ​​usam atividades cognitivas (leitura, prática e elaboração) para estudar um tópico, usam atividades metacognitivas (orientação, planejamento, monitoramento e avaliação) para controlar e monitorar sua aprendizagem e motivar-se a se envolver em um nível apropriado de esforço.

Estudantes autodidatas eficazes usam metas de aprendizagem para planejar seus ciclos de estudo e obter resultados ao ajustar seus esforços ao longo do tempo de acordo com o controle que fazem de tempo e sucesso no exercício.

Portanto, o controle do aluno e o monitoramento apoiam o alinhamento entre ações dos alunos, esforço, precisão e objetivos de aprendizagem.

A precisão dos dados tem um papel importante de sinalização para que os alunos tomem consciência da necessidade de ajustar o seu esforço.

Quando a precisão cai devido a outros fatores além da falta de conhecimento, os alunos devem aumentar o esforço para manter a precisão.

Portanto, a precisão pode ser vista como uma função de conhecimento e esforço e pode ser regulada por ajustar um ou ambos os elementos.

Por exemplo, o aluno tem a opção de atingir uma meta de aprendizagem realizando várias etapas incrementais, cada uma das quais exige esforço por um período mais longo, em vez de etapas grandes que exigem esforço por um período mais curto.

Neste exemplo, o segundo cenário é mais eficiente (se resultar no mesmo nível de sucesso) porque o aluno investe menos tempo.

Esta forma de ciclo de estudos apoia uma aprendizagem eficiente sem perder tempo com ações que não contribuem para o progresso e ajuda o estudante a regular o esforço necessário para se envolver com sucesso nas ações selecionadas.

No ciclo de monitoramento, os alunos avaliam se suas ações e esforços produzem precisão suficiente para fazer progresso em direção a sua meta de aprendizagem.

Uma forma potencial de formar visualizações personalizadas são as curvas de aprendizado momento a momento.

Diferente das Curvas de Aprendizagem clássicas, as curvas momento a momento mostram a probabilidade de que um aluno aprendeu uma habilidade específica em um problema particular durante a aprendizagem.

Esse modelo de curva de aprendizagem tem uma função educacional e até mesmo psicológica de mostrar ao estudante um progresso de forma mais rápida, ainda que não tão precisa.

Curvas de aprendizado momento a momento não mostram o esforço empregado no estudo, mas ao olhar para seu próprio progresso recente, o aluno pode conectar esse progresso com seu esforço recente e assim se dedicar mais aos estudos, pois vê que há uma “recompensa” por cada hora passada.

À medida que aprendemos uma nova palavra, ativamos uma rede de neurônios conectando muitas partes do cérebro, incluindo o córtex visual (que suporta a ortografia), várias áreas de planejamento motor (pronúncia) e o córtex de associação (significado).

Se encontrarmos a palavra muitas vezes e a usarmos repetidamente, essa rede neural se tornará mais estável e automática, de modo que, quando precisarmos da palavra no futuro, a rede será rapidamente reconstruída ou reativada.

Conforme vamos aprendendo melhor determinado assunto, ou vamos atrás de outras formas de fazer determinada tarefa, os caminhos neurais se desintegram e precisam ser reconstruídos.

Uma criança aprendendo a jogar futebol pode aprender a driblar bem a bola, mas quando ela precisa combinar o drible com o passe para um colega de equipe que corre pelo campo, sua capacidade de driblar regride e deve ser reconstruída para abarcar uma nova necessidade.

Outra criança desenvolve uma compreensão dos números à medida que aprende a somar e subtrair, e essa compreensão provavelmente regredirá à medida que ela se empenha em compreender a multiplicação e a divisão e como elas estão relacionadas à adição e subtração.

Aprender é um processo de progresso e regressão.

Na verdade, a regressão é essencial para o aprendizado porque cada vez que o aluno reconstrói a rede, mais estável e automática ela se torna.

A regressão não é um fracasso, embora seja frequentemente tratada como tal.

As Curvas de Aprendizagem mostram essa regressão e progresso ao longo do tempo, de forma que a pessoa consiga entender melhor como funciona seu próprio o processo de aprendizagem.

Aplicação da teoria da curva de aprendizagem no dia a dia

Sua vida e sua carreira são uma grande curva de aprendizado.

Em cada estágio da vida, você deve saber o que procura, deve entender suas metas e objetivos.

Se ainda não sabe ou nem pensou nisso, redirecione sua vida.

Quando a vida é transformada e redirecionada, o desempenho melhora.

Você provavelmente deve fazer uma auditoria da sua vida. Pare e pense no que você anseia, o que busca, qual seu plano maior. Você precisa ter em mente o que quer, para conseguir planejar o que aprender.

Qual é a coisa mais interessante ou importante para você agora?

Você está trabalhando para isso ou prefere deixar a “vida te levar”?

Reexamine seus objetivos conforme necessário e focalize onde for preciso melhorar alguma habilidade ou “reescrever” algum conhecimento.

Faça isso uma vez por semana se houver necessidade, ou faça uma vez ao mês para se manter sempre no caminho que você escolher.

Faça a si mesmo estas perguntas:

O que deu certo? Errado? O que posso fazer melhor?

Depois de saber onde concentrar seus esforços, você pode acelerar seu aprendizado para ficar ainda melhor no que faz.

É ótimo continuar a aprender pois mantém você curioso, entusiasmado e apaixonado pela vida e por vivê-la.

Henry Ford disse uma vez:

"Qualquer pessoa que para de aprender é velha, seja aos 20 ou 80 anos. Qualquer pessoa que continua aprendendo permanece jovem. A melhor coisa na vida é manter sua mente jovem.”

Não espere que alguém lhe diga qual é seu próximo passo.

Vá criá-lo.

Se você não se conhece melhor, pode usar as técnicas da Inteligência Emocional para descobrir seus pontos fortes e fracos.

Por isso é essencial aprender como aplicar a teoria da curva de aprendizagem no seu dia a dia, para que ela possa ser uma ferramenta de ajuda e não mais uma forma de pressão.

Teoria da curva de aprendizagem aplicada a empresas: curva de produtividade

Embora o termo curva de aprendizagem geralmente seja mesclado na literatura de economia e gestão de negócios com o termo curva de produtividade (ou curva de experiência), existem algumas diferenças entre os dois.

No contexto empresarial, o conceito da curva de aprendizagem não se aplica apenas aos novos profissionais, que precisam aprender tudo sobre a empresa e sobre suas novas funções, mas também aos colaboradores veteranos que tenham que desempenhar novas atividades.

A curva de produtividade é um recurso que as empresas usam para conseguir calcular os gastos com um novo funcionário ou com o remanejamento de funções.

Dessa forma elas conseguem planejar o custo financeiro e temporal de cada investimento em um colaborador.

Esse método da Curva de Produtividade também serve para mostrar o desempenho profissional do trabalhador. Mede o tempo que leva para cada tarefa ser concluída e se esse trabalhador poderia fazer em menos tempo ou gastar menos recursos da empresa.

Agora que você entendeu o que é a curva de produtividade, pode aprender como ela é utilizada no contexto de uma empresa e como você pode se deparar com ela na sua vida profissional.

Novos colaboradores e aprendizado

Existe uma estratégia usada pelas melhores empresas baseada na Curva de Produtividade.

Essas empresas estão focadas em como acelerar a curva de aprendizado dos novos colaboradores e melhorar o desempenho geral da equipe.

Para conseguir este feito, as empresas investem nos seguintes pontos:

  • Onboarding

O termo Onboarding é usado para descrever todo o procedimento de integração de um colaborador novo à empresa.

Trata-se de um elemento crucial para determinar a curva de aprendizagem de um novo integrante da organização.

É com essa ferramenta que a empresa apresenta as normas e regras da companhia, seus departamentos e funcionamento de cada um deles, realiza o entrosamento do colaborador com os seus colegas de equipe e introduz a cultura organizacional ao novo profissional.

Assim, para acelerar a curva de aprendizagem é preciso, antes de tudo, garantir a eficiência do Onboarding.

Ao realizar esse procedimento com agilidade e eficácia, é possível conhecer com clareza o novo funcionário.

Dessa forma, ao identificar as especificidades de cada profissional, pode-se traçar e ajustar estratégias para que a inclusão seja cada vez mais eficiente.

  • Investimentos em treinamentos

Os treinamentos são essenciais para que o colaborador trabalhe de forma eficiente e correta, de acordo com as expectativas da empresa.

Para isso, devem ser acompanhados e mensurados.

Utilizando indicadores como a curva de aprendizado, é possível identificar gargalos no processo e pontos a serem melhorados.

  • Mentoria

O recurso da mentoria é um método eficiente e barato de treinamento.

Além disso, um projeto bem aplicado de mentoria também representa ganhos para funcionários mais antigos, uma vez que estabelece coesão e harmonia entre colaboradores novos e com mais tempo de empresa.

É uma ótima forma de ensinar os colaboradores e ao mesmo tempo manter o controle dos dados das curvas de produtividade.

  • Aplicação de gamificação

Gamificar é montar um treinamento interativo e que estimula a competitividade e a vontade de superar limites.

O termo vem de “game”, jogo em inglês, e significa transformar processos mais atraentes por meio de mecanismos comuns a jogos.

É o método de aplicar conceitos como desafios (missões), etapas, níveis de dificuldade e recompensas.

Ao instituir, por exemplo, um treinamento gamificado, o colaborador é constantemente motivado a se superar, a avançar de nível e se preparar para eventualidades.

Pode, por exemplo, utilizar os gráficos da curva de aprendizagem como uma forma de testar o nível de dificuldade das tarefas, e quanto mais o colaborador avança na curva, mais perto ele pode chegar do “prêmio”.

Reduzir o tempo de adaptação e acelerar a curva de aprendizagem não é um desafio fácil. Entretanto, ao entender como funciona o processo e munindo-se das técnicas certas, é possível aplicar no âmbito profissional e no pessoal com o mesmo nível de sucesso.

Como acelerar a Curva de Aprendizagem

Curva de aprendizagem é a taxa de progresso de uma pessoa no ganho de experiência ou novas habilidades.

Sua capacidade de aprender melhor e mais rápido pode ajudar a determinar seu sucesso e seu potencial de crescimento.

Uma aprendizagem normal leva tempo, muito tempo, por causa de tudo o mais que pode exigir sua dedicação, atenção e foco.

Ao acelerar sua curva de aprendizagem, você assume 100% do controle e mede seu progresso com base em metas mensuráveis e oportunas.

Você pode aprender como aumentar a curva de aprendizagem (ou acelerar, os dois termos são usados) dedicando-se e adotando um método.

Portanto, em vez de ler um livro ou aprender um novo idioma quando quiser, você estabelece um ritmo e horários programados ao longo de vários dias ou semanas.

Você pode até manter um diário de seu progresso.

Isso mantém você no caminho certo para atingir seus objetivos de aprendizagem.

Alunos acelerados se comprometem com um único curso de ação ao longo do tempo e seguem sua programação até atingirem a meta e então escolhem estudar outra coisa.

Eles adquirem habilidades para a vida e a carreira em um curto período de tempo e assim melhoram seus currículos e conhecimentos em todas as áreas.

Os mais dedicados sabem como navegar durante todas as fases da curva de aprendizagem: início, aceleração e esgotamento, e estão preparados para cada uma delas.

Separamos algumas dicas para ajudar você a acelerar sua curva de aprendizagem:

10 dicas para acelerar sua Curva de Aprendizagem

1. Comece com seus pontos fortes

Quando você está para iniciar uma nova tarefa ou um novo assunto, é melhor começar com as tarefas (ou assuntos) das quais você já conhece bem.

Isso ajudará você a pegar o jeito do processo antes de passar para tarefas mais difíceis. Começar com seus pontos fortes também manterá sua motivação alta.

Se você estuda Inglês, por exemplo, e quer começar a estudar Alemão, comece a identificar os falsos cognatos ou então as palavras em comum.

2. Não espere milagres

No processo de aumentar sua curva de aprendizado, você terá que investir muito tempo. Não é um truque de mágica que o tornará um expert em poucos dias.

Você pode usar dicas para agilizar o processo de aprendizagem, mas, ao mesmo tempo, esteja preparado para dedicar bastante do seu tempo.

3. Repita e refaça

A teoria da curva de aprendizagem trata de repetir a tarefa ou assunto em questão para reduzir o tempo que leva até sua conclusão ou entendimento.

Consequentemente, o objetivo final é encaixar o máximo de repetições possível em menos tempo.

Sem refazer a mesma coisa indefinidamente, sua curva de aprendizagem não ficará melhor.

4. Use as técnicas certas

Cada pessoa tem uma forma diferente de aprender. Porém, a verdade é que as técnicas de aprendizagem generalizadas passaram a existir depois de muitas tentativas e erros.

Você pode ficar tentado a experimentar novos métodos de aprendizagem por si mesmo. Mas, no processo de melhorar sua curva, o tempo é de imensa importância.

Por isso adote o método de estudos que você já sabe que funciona, ou então dedique-se a aprender a estudar antes de começar a acelerar sua aprendizagem.

5. Dê um passo de cada vez

O tempo necessário para aprender varia para diferentes tarefas e habilidades. Portanto, enfrente apenas uma curva de cada vez.

Por exemplo, se você está trabalhando em uma habilidade musical, mantenha-a até dominá-la. Em seguida, avance para algo novo.

Você só tornará as coisas mais demoradas e difíceis se tentar lidar com várias habilidades e tarefas simultaneamente.

Além disso, dentro de uma habilidade, divida o aprendizado em partes. Não tente obter todas as informações possíveis de uma vez.

6. Avalie a si mesmo

Para evitar que você gaste tempo e tente aprender algo novo para no final descobrir que não aprendeu nada, avalie-se regularmente.

Pode ser feito semanalmente ou quinzenalmente, de acordo com a natureza do que você está praticando.

Suas avaliações pessoais devem ser honestas.

Uma maneira de medir seu progresso é cronometrar você mesmo. Será uma representação infalível da diminuição do tempo.

Se você não está melhorando em um ritmo constante, provavelmente precisará mudar suas técnicas de aprendizado.

7. Obtenha uma avaliação externa

Algumas coisas não podem ser avaliadas por você mesmo e, às vezes, avaliações pessoais podem não ser suficientes.

Uma segunda opinião nunca é uma opção ruim.

Você pode registrar seu progresso e mostrá-lo a outra pessoa para feedback. Ou você pode fazer a tarefa na frente de um especialista.

A avaliação externa será mais útil se o feedback vier de um especialista no assunto que você quer melhorar.

No entanto, se isso não for possível, você sempre pode encontrar alguma utilidade na opinião de um leigo também.

8. Fique focado

Toda a técnica de usar a curva de aprendizado depende do seu cérebro. Se o cérebro não estiver focado, todos os seus esforços serão inúteis.

Para manter o foco, você terá que trabalhar muito. O trabalho árduo de alguns dias o ajudará pelo resto de sua vida.

Você pode definir um tempo em sua programação para exercícios mentais a fim de fortalecer seu foco.

As pausas são uma parte vital para se manter centrado durante todo o processo.

9. Permaneça determinado

Você sabe como o carvão tem que passar por uma pressão indescritível para se tornar um diamante? Bem, você terá que passar por algo semelhante também.

Como disse anteriormente, não é um truque de mágica. Você terá que se esforçar muito.

Se você entrar com a intenção de parar quando as coisas ficarem difíceis de administrar, você nunca alcançará seu objetivo.

10. Oferecer assistência

Quando você sentir que se tornou um mestre, é hora de fortalecer ainda mais seu aprendizado.

A melhor maneira de fazer isso é se tornar professor de outras pessoas.

Você não apenas repetirá todos os conceitos, mas também melhorará quaisquer pequenas falhas que tenham ficado em sua técnica.

Use técnicas de estudos e seja sistemático quando se tratar de seu melhoramento pessoal e profissional.

Sem sistemas, estaremos forçando nosso cérebro a usar sua energia limitada para tomar decisões sobre tudo.

O que quer que você queira aprender ou fazer, encontre o sistema básico, princípio ou estrutura e domine-o.

Quer seja investir, escrever, aprender um novo idioma, programar, projetar, desenhar ou aprender um novo instrumento, você deve apreciar o básico.

Comece com o básico e aprimore com o tempo.

Como achatar a curva de aprendizagem

Quanto mais avançamos nos nossos esforços para aprimorar conhecimentos e habilidades, menos aguda é a curva de aprendizagem.

A intensidade de assimilação da nova habilidade ou informação cai à medida que o tempo passa.

Isso porque nos adaptamos, uma vez que o cérebro passa a se acostumar à novidade. Em vez de aprendizagem, tudo começa a se transformar em repetição.

Nesse ponto, podemos dizer que atingimos o ponto alto do conhecimento daquilo que estamos aprendendo.

Em outras palavras, teremos a demonstração gráfica da nossa curva de conhecimento do assunto que aprendemos.

Gráfico que demonstra a curva de aprendizagem desde o primeiro estágio até a estabilização.
Gráfico que demonstra a curva de aprendizagem desde o primeiro estágio até a estabilização.

Por isso, temos uma sensação muito boa quando escalamos coisas novas. Mas o prazer perde fôlego assim que atingimos o platô, onde a nossa curva mais parece uma reta.

Porém, mesmo quem atinge o platô precisa continuar a aprender.

Tudo o que você pretende aprender, estabeleça metas de desenvolvimento pessoal e domine os princípios básicos.

E se você quer mesmo acelerar seu aprendizado, programe-o, escolha a frequência de repetições e comece hoje mesmo.

O que não está em sua programação não será realizado.

Sempre há mais no mundo para conhecer. A curva de aprendizagem pode até perder inclinação e parecer mais fácil de escalar em algum momento, mas ela continua sua subida até o fim da sua vida.

Faça das suas curvas de aprendizagem percursos gostosos de desbravar. Trace suas rotas, chegue mais longe, conquiste novos destinos.

E quando as coisas parecerem difíceis, lembre-se do que o grande mestre e filósofo Aristóteles disse:

“É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer.”

Ficou com alguma dúvida acerca da curva de aprendizagem/aprendizado/conhecimento/produtividade? Mande-nos um e-mail ou deixe um comentário e podemos conversar mais sobre o assunto.

Se você gostou desse conteúdo e quer aprender mais sobre métodos de estudo, neuroaprendizagem, produtividade e habilidades, assine nossa Newsletter e comece a acelerar sua curva de conhecimento hoje mesmo!

Baixe grátis:Técnica FeynmanConheça a Técnica Feynman e aprenda como aprender DE VERDADE tudo o que você quiser. Nada de mágica ou fórmula pronta: alcance o aprendizado profundo em 4 passos!BAIXAR AGORA
Capa eBook
Continue aprendendo
Relacionamento Interpessoal e Intrapessoal: a arte de conviver bem consigo e com os outros

"Nenhum homem é uma ilha". Tenho certeza de que você já ouviu isso, mas você sabe a importância de entender essa frase? Relacionamentos interpessoais são pilares de uma boa vida e uma das melhores habilidades que você pode ter.

Soft Skills
Inteligência Emocional: o trunfo das pessoas de sucesso

Aprenda a identificar os sinais de alta ou baixa Inteligência Emocional e descubra o que fazer para desenvolver essa soft skill.

Soft Skills